Notícia

Estudante faz rifa para comprar lentes e impedir perda da visão

Lucas Nunes Simões Filho precisa usar lentes corretivas por conta de doença degenerativa progressiva da córnea

Imagine perder a visão gradativamente a ponto não reconhecer mais as pessoas na rua, às vezes, até mesmo com o uso dos óculos. É o que aconteceu com o estudante Lucas Nunes Simões Filho, de 16 anos. Há cerca de um ano, a doença degenerativa progressiva da córnea que ele possui, ceratocone, progrediu e ele perdeu 40% da visão.

Para tentar frear e estabilizar a doença para ter uma vida normal, a família do adolescente faz uma rifa de uma cesta de chocolates para conseguir recursos para a compra de lentes corretivas especiais, que custam R$ 2,6 mil. Ele já fez teste no inicio do mês com as lentes corretivas e mostrou compatibilidade.

Lucas conta que faz tratamento pelo Sistema Único de Saúde, e as lentes são fornecidas, mas demorariam de seis meses a um ano para conseguir, o que iria agravar seu problema. “Do ano passado para este, a doença teve uma evolução grande. Preocupados, os médicos indicaram para tratamento de especialista em córnea em Instituto dos Olhos do Espírito Santo. A esperança é de que com a lente o grau não aumente ou pare”, comenta.

Em um ano, Lucas Nunes Simões Filho, de 16 anos, perdeu 40% da visão
Em um ano, Lucas Nunes Simões Filho, de 16 anos, perdeu 40% da visão
Foto: Reprodução/Facebook

Lucas mora em Anchieta, no Litoral Sul do Estado e está no primeiro ano do curso técnico de apicultura no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). A chegada das lentes é aguardada. Algo que vai devolver uma vida normal ao adolescente. “Não tenho saído muito de casa, pois não reconheço ninguém. Na escola, está difícil copiar dever do quadro, tenho que pegar caderno emprestado para copiar depois. Até o globo ocular fica dolorido”.

O dinheiro arrecadado vai ajudar não somente na compra das lentes , mas para custear os colírios. “Muitas pessoas têm sido solidárias e doaram mesmo sem comprar a rifa. Sem a ajuda, não daria. Meu pai está desempregado, minha mãe ganha um salário mínimo, tenho um irmão e moramos de aluguel”, conta.

A cesta de chocolates será sorteada no dia 15 de agosto. Cada bilhete custa R$ 2. Quem quiser ajudar de alguma forma pode entrar em contato com a família pelos telefones (28) 99973-3315 ou (28) 28 99911-9223.

 

Ver comentários