Notícia

Família acusa PM após homem morrer depois de abordagem policial

O caso ocorreu em Cachoeiro de Itapemirim na tarde desta quinta-feira

Fabiano estava acamado há oito meses
Fabiano estava acamado há oito meses
Foto: Reprodução

A família de um homem de 38 anos acusa a Polícia Militar de descaso. Ele estava passando mal dentro de um carro que foi alvo de uma abordagem policial na tarde desta quinta-feira (10), no Centro de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. Familiares garantem que ele ficou mais de 30 minutos dentro do carro, enquanto os policiais faziam a revista.

Fabiano Barbosa de Assis estava acamado há aproximadamente oito meses, mas por volta das 13h, começou a reclamar que estava com falta de ar. Desesperada, a família começou a tentar conseguir um veículo para encaminhá-lo do bairro Alto Bela Vista para o hospital, contou a autônoma Caroline Cardoso, 24 anos, que é cunhada da vítima.

“Ele estava lúcido e reclamando de falta de ar. Por volta de 13h20 começamos a correr atrás de um carro. Meu marido estava fazendo massagem no peito dele. Ligamos para ambulância, Corpo de Bombeiros e ninguém apareceu. Então fomos para o meio da da rua, encontramos um carro que estava descendo. E ele socorreu o meu cunhado”, contou.

Ao passar na altura do bairro Baiminas, começou uma perseguição policial. “Eles mandaram o motorista parar, mas ele sempre falava que tinha alguém passando mal e que tinha que ir para o hospital e seguiu. No morro da Santa Casa tinha um monte de viatura e mandou todo mundo descer. Ficaram interrogando minha irmã e outras pessoas por cerca de meia hora, com meu cunhado dentro do carro. Depois de fazer a abordagem, com o tempo todo minha irmã falando que havia alguém passando mal dentro do carro, pegaram uma viatura e mandaram ele para o hospital”, disse.

O motoboy Wagner Gomes afirmou que a polícia poderia ter prestado socorro para Fabiano antes de iniciar a abordagem. “Houve injustiça dos policiais. Decidiram deixar ele morrer dento do carro. Queremos a punição dos policiais pois eles não prestaram socorro. Porque não acompanhou o carro para a porta da Santa Casa, sendo que eles estavam indo pra lá? Isso é uma injustiça”, desabafou

Outro lado

O subcomandante do 9º Batalhão da Polícia Militar, Fernando Marques Mayrink, disse por telefone que a corporação lamenta o falecimento de Fabiano. Mas afirmou que a família precisa narrar os fatos de maneira formal na corregedoria da Polícia Militar, para avaliarmos a abertura de uma sindicância.

Já a Secretaria Municipal de Saúde informou que o chamado foi registrado às 13h25. Imediatamente a ambulância da Unidade de Pronto Atendimento do Marbrasa se deslocou até o bairro Alto Bela Vista. No entanto, às 13h34, durante esse deslocamento, os profissionais que estavam no veículo receberam um comunicado de que a pessoa havia falecido.

A secretaria informa que a solicitação para o atendimento de ambulância pode ser feito pelos telefones 3155-5253 (antes das 16h) e o 3155-5014 (após as 16h).

Ver comentários