Notícia

Metástase na política

Delações abalam mercado, ameaçam mandatos de Temer e Aécio e exigem que lideranças encontrem solução republicana

Paralisado, sem rumo e em choque, o país vive uma metástase na política. A fatal investigação da Lava Jato contra Michel Temer convulsionou o poder central e expôs o câncer da corrupção alastrado por todos os lados. Aécio Neves já foi afastado do mandato de senador. É neste momento de incerteza quanto ao futuro que a Lava Jato tem de ser reafirmada como remédio para remover toda a sujeira acumulada por debaixo do tapete da vida nacional. O Brasil enfrentou outras graves crises políticas e recessões econômicas, demonstrou maturidade para consolidar a democracia e avançou mundialmente no combate à impunidade. Tal legado tem de nortear a difícil busca por saídas.

Nesse sentido, Judiciário, Ministério Público e Polícia Federal devem prosseguir com carta branca para passar o país a limpo, por mais duro que seja o enfrentamento desse colapso generalizado. Em verdade, a promiscuidade entre políticos e empresários fraturou os princípios de legalidade do Estado de Direito, corroeu a legitimidade de mandatários e de parlamentares eleitos e atingiu praticamente todos os partidos políticos e seus caciques. PMDB, PSDB e PT estão no mesmo limbo de descrédito da população na política.

A gravidade do momento exige concertação nacional entre as lideranças que sobraram nos poderes republicanos, assegurando o mínimo de controle sobre a governabilidade que se firmará daqui em diante, tendo em vista a urgente revisão do arcabouço político-eleitoral. Até agora, o governo parece ter perdido sustentação. O país está acéfalo, com 14 milhões de desempregados, com reformas necessárias em xeque e completamente à deriva.