Notícia

Supermercados fechados aos domingos? Um equívoco a corrigir

As condições estão dadas para que o funcionamento de supermercados se dê de forma regular, todos os dias da semana. Como, aliás, nunca deveria ter deixado de ser

A notícia, divulgada domingo pela coluna Victor Hugo, anuncia que um decreto, a ser assinado no próximo dia 16 pelo presidente da República, abrirá caminho para que os supermercados do Espírito Santo voltem a funcionar aos domingos. O decreto estabelece que a atividade dos supermercados é especial, tal como as das farmácias e restaurantes.

Mas, convenhamos, nem seria preciso um decreto para que o capixaba pudesse voltar a ter o direito de fazer compras dominicais nos supermercados. Os supermercados não são impedidos de funcionar aos domingos no Brasil. Esta invenção capixaba decorre de um equívoco imperdoável cometido pelos nossos supermercadistas que, em 2009, assinaram uma esdrúxula convenção coletiva com o sindicato dos empregados que proíbe o trabalho aos domingos.

Até 2009, os estabelecimentos funcionavam regularmente aos domingos dentro da mais saudável prática do mercado: abria as portas quem quisesse. O Perim, por exemplo, não funcionava aos domingos por opção. Mas quem quisesse, abria as portas e, por mais que alguém diga o contrário, faturava bem.

Depoimentos de empresários demonstravam que o domingo era o segundo ou terceiro dia da semana em volume de vendas porque, além de atender aos consumidores que não têm tempo disponível em outro dia, no domingo o cliente permanece mais tempo no estabelecimento, sendo certo que uma maior permanência entre as gôndolas significa mais compras.

O que se comenta é que a decisão dos supermercadistas capixabas de 2009 seria uma retaliação às grandes redes internacionais que chegavam ao Espírito Santo, como o Walmart e Carrefour. Acreditavam que essas redes eram as maiores beneficiadas com o funcionamento aos domingos. Esta avaliação, contudo, nunca se sustentou porque as redes regionais de supermercados, no Espírito Santo, sempre foram sólidas e líderes no mercado.

O equívoco de 2009 prejudicou o setor e, principalmente, os consumidores que desde então se veem privados de fazer as suas compras nos supermercados, aproveitando-se da folga dominical. E nem se diga que o fechamento aos domingos beneficia os trabalhadores porque é elementar: quanto mais tempo o estabelecimento fica aberto, uma maior quantidade de vagas de emprego é gerada.

Os supermercadistas capixabas deram um passo na direção da correção do equívoco quando estabeleceram, na última convenção, o funcionamento aos domingos nos meses de férias. Agora, as condições estão dadas para que o funcionamento se dê de forma regular, todos os dias da semana, em todos os meses do ano. Como, aliás, nunca deveria ter deixado de ser.

Ver comentários