Gazeta Online

Notícia

Vidas transformadas com a ajuda da saúde pública

Rede Cuidar levou um atendimento mais humanizado para o interior do Estado

Com histórico de câncer na família, a aposentada Erbene Pereira Oliveira, 61, sabe que não pode descuidar da saúde. Por isso, uma vez por ano ela saía de Mucurici, Norte do Espírito Santo, onde mora, para realizar a mamografia em Vitória. Há duas décadas o ritual era o mesmo: a viagem tinha início por volta de meia-noite com o objetivo de chegar ao destino às 6h. Na bagagem, era preciso incluir até mesmo a alimentação. E tão difícil quanto realizar o exame era marcar o serviço. “Esperava um ano para conseguir”, lembra. Mas a rotina da aposentada e de outras milhares de pessoas mudou.

“Em agosto fui ao posto de saúde e em setembro fiz o exame”, comemora Erbene, que desta vez não precisou enfrentar a estrada por tanto tempo. Em vez de se deslocar até a Capital, ela recebeu atendimento na Rede Cuidar, inaugurada em Nova Venécia, e estava de volta à sua casa a tempo para o almoço. 

Nos dois primeiros meses de funcionamento foram atendidos 2.067 pacientes e realizadas 10.721 consultas e exames
Foto: Rede Cuidar

Com pouco mais de dois meses de funcionamento, o novo sistema de atendimento coleciona elogios. O secretário estadual de Saúde, Ricardo de Oliveira, explica que a Rede Cuidar vai regionalizar o atendimento e reformular toda forma de trabalho na saúde pública. A proposta inclui a reorganização do serviço desde a unidade de saúde do município, passando pelas consultas especializadas e exames até a rede hospitalar. “Se aumenta a resolutividade da atenção primária, 80% dos problemas são solucionados nos bairros”, defende o secretário.

Atendimento personalizado

O atendimento está ainda mais voltado para as necessidades da população. Por isso, Erbene e os demais pacientes são recebidos por uma rede multidisciplinar de profissionais. “Falei com nutricionistas, assistentes sociais, médicos e farmacêuticos. A vantagem é que o atendimento ficou mais perto, e as pessoas são ótimas. Todos me deram atenção. Os médicos ouvem a gente”, relata a aposentada.

A nutricionista Milena Marques Mattedi teve sua primeira experiência em atendimento no serviço público por meio da Rede Cuidar e comenta os resultados. “Estou maravilhada. O público, muitas vezes, é carente de atenção e fica feliz em ser bem recebido desde a porta da unidade até o atendimento final de uma forma mais humanizada. Eles também têm muita experiência de vida e nos ensinam muito. Além disso, o resultado é ótimo. Temos relatos de pacientes que já perderam peso, tiveram redução do colesterol e até iniciaram atividades físicas”, afirma.

Milena explica que profissionais de diversas especialidades reúnem-se para estudar o tratamento indicado para cada paciente, priorizando os casos mais graves. Estão envolvidos nutricionistas, enfermeiros, farmacêuticos, psicólogos e educadores físicos. Eles são amparados pelo apoio da equipe médica. “A tendência é o serviço melhorar ainda mais com o tempo, mas estamos no caminho certo”, analisa a nutricionista.

Tempo de espera

O tempo de espera também foi reduzido. O atendimento é agendado direto na unidade de saúde e o paciente é encaminhado com horário marcado para a unidade da Rede Cuidar. O tempo médio de espera para exames e consultas na Região Norte era de sete meses e passou a ser de, no máximo, 30 dias.

Outra que comemora a chegada da Rede Cuidar é Elania Wandel-Rei Raulino de Souza, 39 anos. Moradora de Nova Venécia, ela acompanha de perto o tratamento do pai, Raulino, de 75 anos, e percebeu diferenças na rotina com a chegada da Rede Cuidar à sua cidade.

“Meu pai tem Alzheimer há mais de dois anos. Para a nossa família, a Rede Cuidar foi um avanço grande. Ele tem dificuldade de locomoção e seria muito complicado levar até Vitória para receber atendimento. No passado, ele já chegou a sair de casa uma hora da manhã e voltar às dez da noite”, relata.

Ela lembra que conversou com o agente de saúde do bairro onde mora e, menos de 15 dias depois, Raulino recebeu atendimento de uma equipe formada por diferentes profissionais na Rede Cuidar. Entre eles, estavam farmacêutico, enfermeiro, assistente social, psicólogo e médico cardiologista. “Logo na recepção explicaram que não tinha fila. Ninguém fica muito tempo esperando. Eu nunca tinha visto isso no SUS. O atendimento é muito humanizado, desde o segurança da entrada até o médico”, afirma Elania.

Rede Cuidar

Nos dois primeiros meses de funcionamento foram atendidos 2.067 pacientes e realizadas 10.721 consultas e exames. A unidade realiza 15 tipos de exames diferentes, mas esse número vai aumentar para 24 nas próximas semanas.

Todas as regiões do Estado terão uma unidade da Rede Cuidar. Além de Nova Venécia, os municípios que receberão as unidades são Santa Teresa, Linhares, Guaçuí e Domingos Martins. A estimativa é que 1 milhão de pessoas deixem de ser direcionadas para atendimento na Grande Vitória.