Festival de Cinema de Vitória revela os premiados de sua 25ª edição

Ao todo 21 Troféus Vitória, além de menções honrosas e premiações extras foram distribuídos. Conheça os ganhadores

Publicado em 09/09/2018 às 13h56

Ator Alex Reis e Larissa Delbone na apresentação da premiação do Festival de Cinema de Vitória
Foto: Divulgação

Após uma maratona de exibições, homenagens, oficinas e debates, o 25º Festival de Cinema de Vitória chegou ao fim nesse sábado (08), no Teatro Carlos Gomes, com a premiação dos melhores filmes em diversas categorias. A cerimônia, que contou com a apresentação do ator Alex Reis e Larissa Delbone, produtora-executiva do FCV, distribuiu ao todo 21 Troféus Vitória, além de menções honrosas e premiações extras.

Entre os vencedores da 22ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas, os destaques foram “Peripatético”, de Jéssica Queiroz, que levou o Troféu Vitória de Melhor Filme, e “Esperando Sábado”, que rendeu a Melhor Direção a Érica Sansil.

"A Cidade dos Piratas", de Otto Guerra, levou os prêmios de Melhor Direção e Melhor Roteiro
Foto: Divulgação

Já na 8ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, “A Cidade dos Piratas”, de Otto Guerra, levou os prêmios de Melhor Direção e Melhor Roteiro (Rodrigo John, Laerte Coutinho, Thomas Créus e Otto Guerra), enquanto o documentário “Pastor Cláudio”, de Beth Formaggini, foi o vencedor na categoria Melhor Filme. O ator Markus Konká, de “A Mata Negra”, levou o Troféu Vitória de Melhor Interpretação.

Estreia deste ano, a Mostra Nacional de Cinema Ambiental - Sessão Petrobras teve como vencedor o filme “Rio das Lágrimas Secas”, de Saskia Sá. A obra também levou o prêmio de Melhor Filme da 7ª Mostra Foco Capixaba.

Festival

Iniciado na última segunda-feira (03), o 25º Festival de Cinema de Vitória é o mais tradicional evento de audiovisual do Espírito Santo. Ao longo de seis dias, foram exibidos mais de 80 filmes, divididos em 11 mostras competitivas e sessões especiais. Além do Teatro Carlos Gomes, as atividades aconteceram no Hotel Senac Ilha do Boi e na Universidade de Vila Velha (UVV), incluindo as homenagens a Cláudio Tovar, Maria Gladys, Neville D’Almeida e Luiz Carlos Barreto.

Melhor Interpretação: Markus Konka, de "A Mata Negra"
Foto: Divulgação

22ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE CURTAS

Melhor Filme: “Peripatético”, de Jéssica Queiroz

Prêmio Especial do Júri: “BR3”, de Bruno Ribeiro

Melhor Direção: Érica Sansil, por “Esperando Sábado”

Melhor Roteiro: Gabriela Amaral Almeida, por “Vaca Profana”

Melhor Contribuição Artística: Marco Antônio Pereira, por “Alma Bandida”

Melhor Interpretação: Rosa Luz, por “Estamos Todos Aqui”

Prêmio do Júri Popular: “Braços Vazios”, de Daiana Rocha

Menções Honrosas:  “Maré”, de Amaranta Cesar, “Entre Pernas”, de Ayla de Oliveira, “Tentei”, de Laís Melo e “Maria”, de Elen Linth e Riane Nascimento

8ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS

Melhor Filme: “Pastor Cláudio”, de Beth Formaggini

Melhor Direção: Otto Guerra, por “A Cidade dos Piratas”

Melhor Roteiro: Rodrigo John, Laerte Coutinho, Thomas Créus e Otto Guerra, por “A Cidade dos Piratas”

Melhor Interpretação: Markus Konka, de “A Mata Negra”

8ª MOSTRA QUATRO ESTAÇÕES

Melhor Filme: “Azul Vazante”, de Júlia Alquéres

7ª MOSTRA CORSÁRIA

Melhor Filme: “Os que se vão”, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti e “Bup”, de Dandara de Morais

Menções Honrosas:  “Boca de Loba”, de Bárbara Cabeça e “Materializações Luminosas”, de Victor Neves

7ª MOSTRA FOCO CAPIXABA

Melhor Filme: “Rio das Lágrimas Secas”, Saskia Sá

Menção Honrosa: “A Mulher do Treze”, de Rejane Kasting Arruda

5ª MOSTRA OUTROS OLHARES

Melhor Filme: “De Volta para o Passado”, de Diego de Jesus

3ª MOSTRA CINEMA E NEGRITUDE

Melhor Filme: “Eu sou o Super-homem”, de Rodrigo Batista

Menções Honrosas:  “Algum Romance Transitório”, de Caio Casagrande; “Òpara de Òsùn: Quando Tudo Nasce”, de Pamela Peregrino e “Quem Perdeu o Telhado em Troca Recebe as Estrelas”, de Henrique Zanoni

3ª MOSTRA MULHERES NO CINEMA

Melhor Filme: “Mc Jess”, de Carla Villa-Lobos

Menções honrosas:  “Em busca de Lélia”, de Beatriz Vieirah e “Fofa”, de Flora Pappalardo.

2ª MOSTRA NACIONAL DE VIDEOCLIPES

Melhor Filme: “A Mulher do Fim do Mundo”, de Paula Gaitán (performance de Elza Soares)

Menção Honrosa:  “Cherry Blossom”, de Junior Batista (performance de Solveris)

1ª MOSTRA NACIONAL DE CINEMA AMBIENTAL

Melhor Filme: “Rio das Lágrimas Secas”, de Sáskia Sá

Menção Honrosa:  “Plantae”, de Guilherme Gehr

19º FESTIVALZINHO DE CINEMA DE VITÓRIA

Melhor Filme (Júri Popular) :“O Espírito do Bosque”, de Carla Saavedra Brychcy

3ª Mostra Mulheres no Cinema

Prêmio CTAv ao Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: empréstimo de equipamentos

(SI-2K e acessórios) por duas semanas e serviço de mixagem de 20 horas.

“Mc Jess”, de Carla Villa-Lobos

Prêmio Link Digital para o Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: 4 horas de correção de cor e encode para DCP de curta de até 15 minutos.

“Mc Jess”, de Carla Villa-Lobos

3ª Mostra Cinema e Negritude

Prêmio CiaRio-Brasil ao Melhor Filme, escolhido por Júri Técnico: R$ 6 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria; através da empresa NAYMAR, com validade de 1 ano.

“Eu sou o Super-homem”, de Rodrigo Batista

Prêmio Mistika ao Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: serviço de encode de DCP de até 15 minutos com validade de 1 ano.

“Eu sou o Super-homem”, de Rodrigo Batista

22ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas

Prêmio CiaRio-Brasil ao Melhor Filme escolhido por Júri Popular: R$ 8 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria, através da empresa NAYMAR com validade de 1 ano.

“Braços Vazios”, de Daiana Rocha

Prêmio CiaRio-Brasil ao Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: R$ 8 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria, através da empresa NAYMAR, com validade de 1 ano.

“Peripatético”, de Jéssica Queiroz

Prêmio CTAv ao Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: empréstimo de equipamentos (SI-2K e acessórios) por duas semanas e serviço de mixagem de 20 horas.

“Peripatético”, de Jéssica Queiroz

Prêmio Mistika ao Melhor Filme escolhido por Júri Técnico: serviço de encode de DCP de até 15 minutos com validade de 1 ano.

“Peripatético”, de Jéssica Queiroz

Compartilhe


No ad for you