Gazeta Online

Notícia

Obras de contenção no Museu Nacional devem ser iniciadas nesta segunda

Prédio deverá ser cercado por tapumes para começar os procedimentos que visam manter a estrutura segura

Incêndio atingiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro no último dia 2
Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Uma semana após o incêndio que destruiu quase 90% do acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, o prédio deverá ser cercado nesta segunda-feira, 10, por tapumes para dar início às obras de contenção e procedimentos para manter a estrutura segura.

Para terça-feira, são esperados os técnicos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que auxiliarão nos trabalhos.

As informações foram confirmadas pela vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Serejo. O reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher, informou que a Unesco ofereceu especialistas que já trabalharam em situações pós-tsunamis e outros desastres para ajudar na remoção dos escombros. Na semana passada, autoridades federais confirmaram a colaboração do organismo internacional.

Com a colocação dos tapumes, começam as obras de contenção e outros procedimentos para manter a estrutura do palácio segura e permitir mais buscas em meio aos escombros na tentativa de localizar peças do acervo que tenham resistido ao fogo. Uma equipe de especialistas, sob o comando de arqueólogos do museu, realizará esse trabalho com apoio de engenheiros contratados para garantir a segurança nos escombros.

De acordo com Cristiana, o grupo de especialistas é formado também por museólogos do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e já está trabalhando no interior do prédio.

ETAPAS

A vice-diretora afirmou que os trabalhos são realizados em duas frentes: uma estrutural e uma de resgate do acervo. A expectativa é de que no decorrer desta semana sejam liberados R$ 10 milhões do Ministério da Educação para ações emergenciais na segurança do prédio.

A UFRJ prepara um termo de referência, com a relação dos serviços mais necessários nesta etapa emergencial.

Segundo Cristiana, o museu aceitará também doações de outras instituições. Contatos com essa finalidade já estão sendo feitos pela direção da instituição. “O Museu Nacional está tentando se organizar”, afirmou ela. 

No ad for you