Gazeta Online

Notícia

Relembre as teorias da conspiração sobre a morte de Tancredo Neves

Teorias marcaram o episódio de morte de Tancredo Neves e, até hoje, há quem atribua mais de uma possibilidade para o ocorrido

Com internação do eleito Tancredo Neves, José Sarney toma posse e passa a governar o país. Tancredo morreu dias depois, vítima de infecção generalizada
Foto: Sérgio Marques / Agência O Globo

Maluf e os militares

 

Segundo uma das teorias, Tancredo teria sido assassinado por militares contrários à entrega do poder. Os rumores ganharam força em 1996, quando o general Newton Cruz, em entrevista ao Roda Viva, disse que Paulo Maluf o procurou em outubro de 1984 (três meses antes da votação no Colégio Eleitoral), propondo um golpe caso Tancredo fosse eleito.

 

Baleado na Catedral de Brasília

 

Há também quem acredite que Tancredo tenha sofrido um atentado enquanto assistia a uma missa na Catedral de Brasília. Durante a cerimônia faltou luz e alguns presentes afirmam que teriam ouvido um tiro. O mineiro teria sido levado para o Hospital de Base de Brasília onde foi submetido a uma operação de emergência.

 

Mordomo envenenado

 

Outro rumor é de que o mineiro teria sido envenenado. A teoria surgiu pois seu mordomo, João Rosa, ficou 16 dias internado com dores na barriga e morreu um dia após Tancredo. O envenenamento teria sido arquitetato pelos militares com apoio da CIA. Rosa, desafortunadamente, teria sido vitima ao consumir algo no lugar do patrão.

 

Morto na foto

Tancredo e Risoleta com médicos, em 1985
Foto: Reprodução

No dia 25 de março de 1985 foi divulgada uma imagem de Tancredo ao lado de médicos para provar que o político se recuperava bem. No entanto, reportagens da época veicularam que ele tinha sondas injetadas no corpo e sofria hemorragias no momento da foto. Logo se espalhou que o mineiro estava morto na imagem.

 

Data alterada

 

Também há teorias sobre a data da morte de Tancredo Neves. Há registros de um médico da equipe de que seu cérebro teria parado de funcionar no dia 20 de abril. Sua morte, no entanto, foi decretada no dia seguinte. A data, feriado de Tiradentes, teria sido escolhida para eternizar a ideia de que o político mineiro era um herói.

 

No ad for you
Outbrain