Gazeta Online

Notícia

Desnutrição volta a crescer no mundo, diz ONU

Dados indicam que combate contra desnutrição no Brasil se estagnou desde 2010

Lul Ibrahim, de dois anos, recebe tratamento médico por desnutrição em um hospital de Mogadício, Somália
Foto: Farah Abdi Warsameh

Depois de uma década de avanços no combate à fome, a desnutrição voltou a aumentar no mundo, principalmente na América do Sul e na África. Os dados divulgados nesta terça-feira, 11, pela ONU revelam que, em 2017, 821 milhões de pessoas eram consideradas como desnutridas. No Brasil, o combate contra a desnutrição se estagnou desde 2010.

Em um ano, o número saltou de 804 milhões para 821 milhões, subindo de 10,6% da população mundial para 10,9%. Isso representa uma em cada nove pessoas.

> Mais que promessas, compromissos com a infância, defende Unicef

Apesar da alta, a taxa de 2017 é ainda inferior ao que se registrava no planeta em 2005, quando 14,5% da população era considerada como desnutrida.

Uma das regiões mais afetadas pela nova realidade é a América do Sul. De acordo com a FAO, 4,7% da população da região era considerada como desnutrida em 2014. Hoje, a taxa é de 5%.

No ad for you
Outbrain