Gazeta Online

Notícia

Operação mira empresas de fachada usadas para fraudar licitações no ES

Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado investiga fraudes de licitações no ramo de uniformes para órgãos públicos

Operação Trama Real investiga fraude em licitações de empresas de uniforme
Foto: Divulgação

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Núcleo de Inteligência da Polícia Militar cumpriram mandados de busca e apressão, na manhã desta quarta-feira (12), na sede de três empresas localizadas em um mesmo endereço em Vitória. A ação faz parte da operação "Trama Real", que investiga a criação de empresas de fachada, por sócios laranjas, para a prática de fraudes em licitações no ramo de confecções de uniformes para órgãos públicos.

Foi identificada a participação dessas empresas em licitações nos municípios de Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Viana, Aracruz, Marataízes, Sooretama e Marilândia. Duas dessas empresas já foram alvo de investigação realizada pela Polícia Civil (NUROC) em 2012, que comprovou a utilização de “laranjas” para constituição de “empresas de fachadas” e fraudes de licitações no ramo de uniformes em diversos municípios do Espírito Santo, incluindo a Grande Vitória.

As investigações realizadas pelo Ministério Público Estadual revelaram fortes indícios de novas práticas criminosas com criação de nova “empresa de fachada”, para burlar restrições impostas às outras empresas cujas fraudes foram constatadas pela Polícia Civil. Essa nova empresa teria participado de pelo menos 10 licitações públicas no Estado. 

 

Seu navegador não suporta elementos de áudio.

 

No ad for you