Gazeta Online

Notícia

Servidor que tentou matar filhos e se matou queria magoar ex, diz família

O casal estava separado há duas semanas. A família dela relata que o homem tentou reatar o casamento diversas vezes, sem sucesso

As crianças foram atendidas em Afonso Cláudio e transferidas para o Hospital Infantil de Vitória
Foto: Fernando Madeira

Para os familiares da ex-esposa do servidor público* - que tentou assassinar os filhos e se matou em seguida -, a intenção dele com o ato era magoar a ex. O casal estava separado há duas semanas após ter vivido junto por sete anos. Desde a separação, a família dela relata que o homem tentou reatar o casamento diversas vezes, sem sucesso.

*O nome do servidor público e dos parentes das crianças não foram divulgados para preservar os meninos, que são menores de idade.  

O tio da mãe das crianças contou que, na última sexta-feira (7), o servidor foi até a casa da ex-esposa, que fica a 20 km do centro de Afonso Cláudio, para buscar os filhos para passar o fim de semana. "Nesse dia ele insistiu, mais de uma vez, para que a minha sobrinha voltasse para ele, mas ela se recusou. Ele até pediu um abraço de despedida, mas ela disse que não ia dar", conta.

Eles frequentavam a Igreja Adventista do bairro Grama, onde o caso aconteceu. "Ele era pregador da igreja, muito ativo, e também chefiava o conselho de casais. Nunca pensei que fosse acontecer com uma pessoa dessa, tão religiosa", relatou o tio.

O servidor público era alegre e educado segundo descrição de familiares da ex-mulher. O relacionamento teria acabado por conta de "desentendimentos normais".

O CASO

O servidor público, 28 anos, tentou estrangular os dois filhos pequenos e depois se matou, na manhã deste domingo (09), no bairro Grama, em Afonso Cláudio.

O homem foi encontrado morto dentro de casa e os dois filhos, de 5 e 8 anos de idade, desacordados. “Acreditamos que, depois de ver os filhos desacordados, acreditando que eles tivessem morrido, ele tirou a própria vida. Ele era uma pessoa muito religiosa e vinha passando por problemas de depressão”, contou um familiar.

MÃE PASSOU MAL

As crianças de 5 e 8 anos foram encaminhadas para o Hospital São Vicente de Paulo, em Afonso Cláudio. A mãe dos meninos, ao saber do que havia acontecido, também teve que ser atendida pelos médicos.

Por volta das 18 horas, os irmãos foram transferidos de ambulância para o Hospital Infantil de Vitória. De acordo com informações do Conselho Tutelar do município, os médicos afirmaram que elas não correm risco de morrer mas precisam ser avaliadas por pediatras.

Segundo um amigo da família, elas estão chorando o tempo todo e em estado de choque. O menino de 8 anos está com o rosto roxo. As pessoas o descreveram o servidor público como uma pessoa tranquila, do bem e gostava de frequentar a Igreja Adventista do Sétimo Dia toda semana.

MÃE DEVE FICAR COM CRIANÇAS

O membro do Conselho Tutelar de Afonso Cláudio, Helvécio Paganini, relatou que a mãe das crianças está abalada, mas apresentou condições psicológicas para ficar com os filhos. “A mãe fez o primeiro atendimento com uma psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), mas a família continuará sendo monitorada pelo Conselho Tutelar, pela Assistência Social do Municipal e pelo programa de Saúde Mental”.

Ele acrescentou que as crianças foram encontradas desmaiadas dentro de um quarto, na casa do pai. “O menino de 8 anos está com o rosto com diversas lesões, ele está mais roxo. Já o menino de 5 anos está apenas com uma lesão em um dos olhos, no entanto, aparenta estar psicologicamente mais abalado e não quer conversar”, disse.

TRAGÉDIAS MARCAM O FERIADÃO NO SUL DO ES

Crime chocou os moradores de Ibitirama, na Região do Caparaó
Foto: Geizy Gomes | Gazeta Online

Nesta sexta-feira (07), uma adolescente de 15 anos matou o irmão, de apenas seis anos, a machadadas na tarde desta sexta-feira (07), no município de Ibitirama , região do Caparaó, no Espírito Santo. O crime aconteceu no distrito de Santa Marta após a menina discutir com a mãe. 

Em entrevista para a  TV Gazeta Sul , o delegado de plantão da 6ª Delegacia Regional de Alegre, Didier de Carvalho,  afirmou que adolescente teve um desentendimento com a mãe antes do crime. A mãe pediu ajuda no preparo do almoço, ela não obedeceu, e foi mexer no celular. Foi quando a discussão começou.

> Cidade em choque após irmã matar menino de 6 anos a machadadas

Momentos após a discussão, segundo o delegado, a mãe e o padrasto saíram da residência e a adolescente ficou sozinha com o irmão. O machado usado no crime estava debaixo da cama da mãe. “Ela pegou o machado, que estava embaixo da cama da mãe, e deixou na sala, onde o irmão estava dormindo de bruços no tapete. Ela foi assistir desenho na televisão, se estressou em um determinado ponto e, nessa hora, pegou o machado e desferiu os golpes no menino”, disse.

> Frieza de menina que matou irmão a machadadas surpreendeu delegado

Ainda segundo o delegado, após o crime, a adolescente tentou se matar. Mas desistiu e aguardou a chegada da mãe e do padrasto. Quando a mãe e o padrasto chegaram, encontraram o garoto desacordado no tapete. Eles tentaram o socorrer o filho, mas a criança chegou ao hospital já morta. A Polícia Militar e Conselho Tutelar do município foram acionados.

A adolescente foi apreendida na residência e encaminhada para a delegacia de Alegre. O corpo do irmão criança foi encaminhado para o Departamento Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

 

 

 

 

No ad for you