Notícia

Como ser vegano sem gastar muito

Coxinha de jaca, hambúrguer de feijão... Veja receitas criativas e baratas que não levam nada de origem animal

Caroline Soares, estudante vegana que criou o grupo "Veganos Pobres" no Facebook
Caroline Soares, estudante vegana que criou o grupo "Veganos Pobres" no Facebook
Foto: Arquivo pessoal

Sai tudo o que tem carne, leite, ovos. Entram legumes, verduras, frutas, grãos, cereais. Ser vegano pode ser simples, mas também pode custar os olhos da cara para quem decide adotar esse estilo de vida. Por isso, alguns adeptos fazem questão de mostrar que não é preciso gastar muito para comer bem, usando bons ingredientes e que não custam tão caro.

Moradora da periferia de São Paulo e vegana há dois anos, a estudante Caroline Soares, de 28 anos, criou um grupo no Facebook para compartilhar receitas de baixo custo que não levam nenhum produto de origem animal.

“Nunca tive grana e sempre ouvi que para ser vegano tem que ter dinheiro, estrutura. Criei o grupo para desmistificar essa história, que o veganismo pode ser acessível”, diz Caroline, fundadora do “Veganos Pobres”, que já tem 79,8 mil membros de todo o país.

Para participar do grupo, é preciso estar ciente de algumas regras, como não publicar receitas que levam certos ingredientes como castanha do pará, cogumelos, linhaça, lichia, macadâmia, entre outros “banidos” da página. Lá, entram receitas como bolo feito com água com gás ou o hambúrguer de feijão, por exemplo.

Filão

A estudante já percebeu que tem cada vez mais gente interessada em seguir esse modo de viver. E o mundo dos negócios também já viu isso como um filão. “Já vi uma coxinha vegana que custava R$ 10, enquanto uma comum não sai por mais de R$ 2,50. Até vou a restaurantes veganos. Em outros, já peguei R$ 5 reais num prato de comida porque retirei a carne. Mas é raro. Geralmente, faço minha comida em casa”.

Ela não é a única jovem interessada em popularizar o veganismo. As amigas Soraia Mirio, Priscila Queli e Tati De Simone são as “Veganitas”, uma empresa focada no veganismo acessível.

“O veganismo está crescendo muito, e muita gente se aproveita disso para lucrar, por isso gourmetiza muito. Nós vendemos produtos veganos bem mais em conta e realizamos eventos e oficinas para mostrar que não é preciso ser rico para ser vegano”, destaca Soraia, 34 anos, vegana há cinco.

Prova de que o veganismo não precisa ter luxos é o sucesso de eventos como o que as Veganitas promovem, o Festival Galinha Viva, que aconteceu ontem, no centro de São Paulo, em sua segunda edição, com uma riqueza gastronômica que impressiona e onde a coxinha de jaca era uma das estrelas principais.

Dicas

Faça as contas - Ser vegano pode sair mais barato do que ser carnívoro. Basta ver o preço da carne no supermercado. O vegano come, basicamente, verduras, legumes, frutas, grãos, cereais, que, em sua maioria, não são ingredientes caros

Faça em casa - Se não tiver como consumir em restaurantes e lojas veganos, faça em casa. Cozinhar, além de prazeroso, sai mais barato. Faça seu leite ou queijo vegetal em vez de comprar

Economize - Quer comprar produtos a um preço mais “camarada”? Vá às feiras orgânicas, compre direto dos produtores. Uma dica é aproveitar o fim da feira, quando os vendedores acabam dando descontos para acabar com o estoque. Na Internet, há grupos veganos que indicam onde encontrar produtos mais em conta

Sem limitação - Todo vegano acaba virando uma espécie de chef de cozinha. Deixar de comer carne e seus derivados não impede alguém de comer uma ótima lasanha ou uma coxinha. Use a criatividade e crie receitas a seu gosto. É possível fazer substituições mais baratas e saborosas

Os “banidos” - Confira alguns itens que não podem estar nas receitas

do grupo por serem muito caros, segundo a página “Veganos Pobres Brasil”

Castanha do pará e de caju; linhaça; macadâmia; tâmara; pistache; cogumelos; tofu; óleo de coco industrializado (caseiro é liberado); pitaya; quinoa; avelãs; algas; amêndoas

AS RECEITAS

Receita vegana: brócolis empanadoBrócolis empanado

Ingredientes:

Farinha de trigo;

1/4 de cebola [metade da metade];

1/2 dente de alho [caso queira colocar um dente de alho inteiro, o sabor ficará mais forte];

Água;

Sal e tempero a gosto [pode usar o tempero que você gosta];

Massa para empanar [essa massa serve para empanar qualquer tipo de coisa, desde cebola, brócolis e etc];

No liquidificador bata a farinha, o alho, a cebola, o sal e os temperos quando a mistura no liquidificador já começar a apresentar consistência e a velocidade diminuir [a quantidade de farinha vai depender do número de brócolis que você vai empanar];

Retire, coloque numa vasilha. Acrescente mais farinha de trigo, deixando a consistência da massa bem grossa [facilita na hora de empanar porque a mistura gruda mais no alimento];

Empane o brócolis com a massa e frite no fogo médio

Pão de queijo veganoPão de queijo vegano

Ingredientes

2 xícaras (de chá) bem cheias de mandioquinha (batata baroa) picada (cerca de 300g) eu usei batata Doce

1 e 1/2 xícara (de chá) de polvilho doce

1/2 xícara (de chá) de polvilho azedo

1 colher (de chá) de fermento químico em pó

1/4 de xícara (de chá) de água

5 colheres (de sopa) de óleo

1 colher (de chá) de sal ou mais se preferir

uma pitada de açafrão

Modo de preparo

Amasse a batata ou mandioquinha com um garfo, até obter um purê uniforme. Reserve.

Pré-aqueça o forno a 210ºC. Em uma vasilha, coloque o polvilho doce, o polvilho azedo, o fermento químico em pó, açafrão e misture.

Coloque a água, o óleo e o sal em uma panela pequena, misture e deixe ferver. Quando estiver borbulhando, desligue e jogue sobre a mistura dos polvilhos. Misture bem até virar uma farofinha. Adicione o purê e misture novamente, até obter uma massa uniforme. Modele bolinhas de tamanho médio, cerca de 4cm de diâmetro, e coloque em uma assadeira antiaderente. Leve para assar por cerca de 50 minutos ou até os pãezinhos ficarem rachados e completamente assados. Está pronto!

Uma dica: se você vir que a massa não está ficando firme, que ela está grudando na sua mão, adicione um pouquinho mais de polvilho doce, porque pode acontecer da sua mandioquinha ter acumulado bastante água.

Hambúrguer de feijão e beterraba, com maionese de arrozHambúrguer de feijão fradinho e beterraba

- Meio saco de feijão fradinho cozido, sem caldo.

- Meia beterraba ralada.

- Meia cenoura ralada.

- Farinha de pão.

- Farinha de trigo

Uma colher de óleo.

- Pimenta do reino.

- Fumaça em pó.

- Sal a gosto.

- Purê de uma batata média.

- Alho a gosto.

- Cebola a gosto.

Modo de preparo.

Farinha de pão - Pegue um pão-duro bata no liquidificador ou use um ralador até virar uma farinha.

Hambúrguer - Dividir a quantidade do feijão em dois, no liquidificador. Você vai triturar a metade do feijão, toda a quantidade de beterraba, a metade da cenoura, metade do alho e da cebola com um pouco de água. O ponto certo é quando viram creme denso uniforme, mas que o liquidificador processe com dificuldade. A outra metade do feijão fradinho você amassa com um garfo e deixa meio que uns pedacinhos bem grandes. Misturar todos os ingredientes, menos as farinhas. Acrescente duas colheres de farinha de pão, e a farinha de trigo aos poucos, até dar ponto de moldar e não estiver grudando nas mãos. Pode deixar a massa por cerca de 4 horas na geladeira para ela ficar mais firme e facilitar o molde. 

- Arroz cozido (uso as sobras do arroz).

-Sal a gosto.

- Limão a gosto.

- Açafrão (opcional).

- Agua.

- Uma colher Óleo ou azeite.

- Um dente de alho sem miolo.

No liquidificador, você vai colocar todos os ingredientes acima, menos a água. Comece a processar no liquidificador e vá acrescentando água aos poucos. Vai ser necessário parar, raspar as laterais do liquidificador para jogar todo o arroz para baixo, mexer o fundo para ficar uniforme e repetir o processo até ele ficar em ponto de creme, armazenado em um potinho de vidro higienizado e fechado. Dura até 4 dias na geladeira e mais tempo no congelador

Receita vegana: bolo de chocolate feito com água com gásBolo de chocolate 

- Pacote de mistura para bolo Dona benta (qualquer sabor).

- 250 ml de água com gás (de quer mais fofinho, pode colocar 300 ml)

Misture os dois ingredientes, despeje a mistura em uma fôrma untada com óleo, farinha de trico ou cacau em pó, pré-aqueça o forno, asse em um forno em 220 graus e após 30 minutos verifique porque pode estar pronto

Dica: Para este bolo eu usei duas masas então dobre a quantidade de água.

Cobertura de caramelo 

- Leite de coco 400 ml 

- Açúcar mascavo, de 3 a 4 colheres de chá, pode colocar mais se quiser.

- 1 pitada de canela em pó.

- 1 pitada de sal.

Você pode fazer de duas formas: derreta o açúcar e acrescente o leite, misture em fogo baixo até apurar (diminuir a quantidade), mexa sempre.

Você pode misturar direto o leite e o açúcar em fogo baixo. O ponto dela é quando estiver bem cremosa, lembando que ela endurece mais depois de esfriar, então cuidado para não deixá-la muito cremosa

Coxinha vegana de jacaCoxinha de jaca

Segue a receita da carne de jaca:

Pegue uma jaca pequena (para caber na panela de pressão sem precisar cortar já que é mais difícil e a pessoa pode desistir ). A Jaca precisa estar verde. Isso é muito importante, pois para fazer a carne, a jaca não pode ter nem cheiro nem gosto.

Lave bem a jaca e cozinhe por 30 minutos depois que pegar pressão. Espere esfriar, retire a jaca e corte ao meio.

Desfie a poupa desprezando os caroços. Para uma "carne" mais desfiada pode se passar no processador pulsando algumas vezes.

A carne está pronta! Para o tempero usamos orégano, molho de tomate, sal, pimenta do reino e alho. Mas o tempero é intuitivo de acordo com o gosto pessoal.

A carne pode ser congelada por até 3 meses e serve para diversos recheios. Coxinha, tortas, esfihas e o que mais a imaginação permitir.

Uma jaca pequena verde pode ser comprada por até $5 e rende 1 quilo de carne. Ou ainda é possível encontrar em alguns lugares jaqueiras na cidade.

Para a receita da massa da coxinha:

4x e 1/2 de água

8 colheres de Óleo

Temperos a gosto

Quando ferver jogue 4x de farinha de trigo. Mexa até desgrudar da panela. Em seguida sovar ainda quente numa superfície fria.

Rendimento médio: 30 coxinhas médias.

Para empanar: água e farinha de rosca.

Ver comentários