Notícia

Entenda a chamada "Doença da caverna"

Problema pode ter afetado meninos resgatados na Tailândia

Morcegos costumam habitar cavernas e contaminar o ar com um fungo,   o histoplasma
Morcegos costumam habitar cavernas e contaminar o ar com um fungo, o histoplasma
Foto: Shutterstock

O drama vivido pelo grupo de meninos que ficou preso numa caverna, na Tailândia, comoveu o mundo inteiro. Felizmente, todos saíram da situação com vida, num trabalho intenso que terminou ontem com os últimos resgatados. Agora, as atenções se voltam para os cuidados com a saúde dos adolescentes, que têm idades entre 11 e 16 anos. Afinal, ficar quase 20 dias num local fechado, escuro e úmido sem se alimentar acaba afetando o organismo de alguma forma. Uma das preocupações dos médicos é que eles tenham adquirido a chamada “doença da caverna”.

A histoplasmose, como é cientificamente conhecida, é uma doença causada por um fungo, o histoplasma, comum em caverna por causa da presença de morcegos.

Leia também

“Como esses meninos ficaram em uma caverna numa região muito úmida, a chance de ter morcegos naquele local é grande”, observa a pneumologista Jéssica Polese.

A doença se instala quando a pessoa inala o fungo, que chega ao pulmão e provoca sintomas semelhantes à pneumonia. “Esse tipo de infecção pode acontecer principalmente em quem está com situação imunológica e nutricional ruim, que é o caso dos adolescentes da Tailândia”, aponta a médica.

EXCURSÃO

Mas a histoplasmose não é rara. Já houve registros dela no Brasil. “Pode acontecer de a pessoa fazer uma excursão em caverna por muitos dias e voltar doente, tossindo muito, com febre. É sinal de que gerou um quadro respiratório”, diz a pneumologista.

Além disso, como habita o solo, esse fungo pode ser transmitido a pessoas que têm contato com atividades como a demolição de casarões velhos e abandonados, por exemplo.

A questão é que nem sempre é fácil diagnosticar, como destaca a pneumologista Simone Prezotti: “Na maioria das vezes, a doença é assintomática. Mas dependendo da exposição, se for muito intensa e prolongada, pode se manifestar de forma mais grave, levando à insuficiência respiratória e até à morte”.

Por isso, afirma, o perigo da contaminação é maior para pessoas com imunidade baixa, como pacientes em tratamento contra câncer e Aids, por exemplo. Uma vez identificado o histoplasma, o tratamento é feito com antifúngicos, com grande chance de cura e sem sequelas.

Prezotti lembra ainda que outro problema a que os meninos da Tailândia ficaram expostos é a leptospirose, também transmitida por morcegos.

FIQUE POR DENTRO

O que é a doença

É uma infecção respiratória causada por um fungo, o histoplasma capsulatum. Não é contagiosa, ou seja, não é transmitida de pessoa para pessoa.

Como é transmitida

A transmissão ocorre pela inalação desse fungo, presente em locais com acúmulo de fezes de morcegos e aves. O fungo habita o solo, principalmente em locais úmidos e quentes. Por isso, é comum estar presente em cavernas, locais de demolição de casarios antigos e abandonados, e em escavações.

Complicações

Na maioria dos casos, em pessoas saudáveis, a histoplasmose é assintomática, com sintomas leves que podem ser confundidos com uma simples gripe. Mas nos casos mais graves de contaminação, a pessoa pode desenvolver um quadro crônico que leva a uma pneumonia, com insuficiência respiratória, e à morte

Situações

No caso dos meninos da Tailândia, a possibilidade é analisada uma vez que eles ficaram muito tempo numa caverna, debilitados e desnutridos.

E os pombos?

Presentes nas grandes cidades, onde se proliferam, os pombos podem transmitir uma doença parecida, a criptococose, a partir de outro tipo de fungo, o cryptococus neoformans.

Ver comentários