Notícia

Enxaqueca: o cardápio certo para vencer a dor

Veja quais alimentos podem prevenir as crises e quais podem até piorá-las. Confira também receitas legais

Rackel Perry Caliman, 32 anos, arquiteta, sofria com enxaqueca e mudou alimentação. Chocolate, agora, só meio amargo
Rackel Perry Caliman, 32 anos, arquiteta, sofria com enxaqueca e mudou alimentação. Chocolate, agora, só meio amargo
Foto: Carlos Alberto Silva

A arquiteta Rackel Perry Caliman, 32 anos, vivia tendo enxaqueca. Eram crises terríveis, dessas de ter que se trancar num quarto escuro até passar. “As crises me deixavam bem debilitada. Atrapalhavam o trabalho, tudo”, conta. Isso acontecia com frequência, até que ela descobriu que precisava mudar alguns hábitos, inclusive na alimentação.

Quem, como a Rackel, sofre desse problema nem sempre relaciona a doença ao que anda comendo. No entanto, segundo especialistas, a alimentação pode tanto prevenir quanto piorar as dores.

“A nutrição é peça chave para reduzir as crises e buscar possíveis gatilhos que possam estar desencadeando essa enxaqueca”, destaca a nutricionista Roberta Larica.

O que se sabe, segundo ela, é que uma dieta muito rica em carboidratos refinados, açúcar, queijos, embutidos, cafeína e álcool tende a desencadear o problema em quem tem tendência ou até piorá-lo.

Neurologista, Flávio Sekeff Sallem diz que é preciso primeiro diferenciar uma dor de cabeça comum de uma enxaqueca. “Existem dores de cabeça que parecem enxaqueca e não são. A enxaqueca é caracterizada por uma dor que pode ser episódica ou crônica e geralmente acontece mais de 15 dias por mês.”

Exames

Trata-se de uma dor latejante, de um lado só da cabeça ou dos dois lados, acompanhada quase sempre de náusea, tontura, ânsia de vômito. “A pessoa costuma ter de cinco a sete crises num mês. E os exames não acusam nada”, observa o médico.

Produtos açucarados e gordurosos, aponta Sekeff, estimulam o processo inflamatório no cérebro, podendo causar enxaqueca.

Algumas pessoas, diz, já conseguem identificar esses gatilhos mais facilmente. “Elas até fazem lista de comidas que geram as dores.”

“Os alimentos gordurosos e as frituras elevam a produção de prostaglandina (sinais químicos) no sangue, causando dilatação dos vasos e piora da dor”, pontua o médico Wesley Schunk, que cita ainda os queijos, principalmente os envelhecidos, também como vilões. “Eles são ricos em tiamina, um aminoácido que pode afetar os vasos sanguíneos e desencadear dores severas.”

Já outros tipos de alimentos ricos em antioxidantes, como frutas vermelhas, chás calmantes, açafrão e própolis são aliados de quem convive com enxaquecas.

“Alimentos que contêm magnésio, como folhas verde escuras, brócolis, sementes de girassol, semente de abóbora, gergelim, além dos ricos em ômega 3 podem reduzir a frequência e a intensidade das crises”, cita Roberta Larica.

Menos doces

Rackel descobriu o que fazia a enxaqueca atacar. “Tinha uma questão hormonal. Então, parei de tomar anticoncepcional. Mas percebi que uma alimentação mais regrada influenciava nas dores. Antes eu comia mais doces. Agora, reduzi bastante. Só como, por exemplo, chocolate meio amargo, que tem menos açúcar. A enxaqueca vem numa intensidade e numa frequência muito menor”, comenta a jovem.

Saiba mais

O que é

Enxaqueca é uma doença crônica de causas multifatoriais. É marcada por crises, que podem durar de quatro horas a vários dias.

Sintomas

Além de fortes dores latejantes de um lado da cabeça ou dos dois lados, pode vir acompanhada de náuseas, vômitos, sensibilidade à luz, barulhos ou cheiros, visão embaçada, formigamento na face e no corpo, suor excessivo, sensação de ouvidos tampados, entre outros.

Algumas causas

Ingestão de álcool, má alimentação (como a falta ou excesso de carboidratos e açúcar), dietas restritivas, jejum prolongado, hipoglicemia e alergias alimentares, ciclo menstrual, anticoncepcionais, estresse, tabagismo

O que piora - Alimentos ricos em açúcar e gordura, chocolate, café, chá preto, vinho tinto, refrigerantes, adoçantes, bebidas alcoólicas em geral, embutidos.

Podem ajudar a prevenir - Folhosos e alimentos integrais, alimentos ricos em triptofano (verduras, feijão, ovos, carnes, pescados), alimentos com função antioxidante (frutas vermelhas, açafrão, própolis...), ômega 3 (peixes, chia, linhaça).

Receitas da nutricionista Roberta Larica

Açaí caseiroAçaí caseiro

 

 

Esta receita de açaí caseiro é sem xarope (que tem muito açúcar!) e fica muito mais natural! No lugar do xarope use néctar de coco que tem baixo índice glicêmico e é uma delicia! E uma ótima sugestão de pré treino com fontes de gorduras boas

.

Anote aí a receita para 1 pessoa: 1/2 banana 6 morangos Orgânicos congelados 1/4 coco seco

1/4 polpa de açaí puro e orgânico

É só bater tudo com um pouquinho de água/ água de coco e adoçar com néctar de coco à gosto

Suflê verde para almoço

Suflê verde para almoço
Suflê verde para almoço
Foto: Divulgação/Roberta Larica

Leva couve, cheiro verde e o restinho das hortaliças que tinha na geladeira. Bata tudo com 2 ovos e adicione 1/2 colher chá de fermento e leve ao forno. Simples e uma ótima opção para quem não come muita verdura

Mousse de cacau com abacate

Mousse de cacau com abacate
Mousse de cacau com abacate
Foto: Divulgação/Roberta Larica

Bata 1/2 abacate com 1 colher sopa de cacau em pó. Adoce com tâmaras ou passas.

Decore com os nuts que gostar

Ver comentários