Notícia

Calor demais causa de tonturas a mau hálito

É preciso ficar de olho aos problemas que o calorão pode causar

Calor demais aumenta até a chance de problemas como mau hálito
Calor demais aumenta até a chance de problemas como mau hálito
Foto: Arabson

Muita gente adora o verão, época de férias, de muito banho de mar e piscina... Mas o calor, quando é demais, faz todo mundo reclamar e dar a ele nomes horríveis, achando até que ar abafado nas ruas vem diretamente das profundezas do inferno.

Brincadeiras e exageros à parte, a verdade é que quando a temperatura sobe, algo acontece com nosso corpo. Ele pode sofrer de tonturas a infecções e até mau hálito. Se sentindo mais estressado? Pode culpar o calor.

Ouvimos especialistas para saber como não deixar que o clima tórrido que parece nos “derreter” prejudique nossa saúde. O alerta vai principalmente para idosos e crianças, os mais afetados nesses dias mais quentes, que vão continuar pelo menos até o final de março quando entra em cena o outono.

Desidratação, insuficiência renal, desmaios e aumento do índice de infecções urinárias são alguns problemas que podem atingir pessoas de idade mais avançada na alta estação, de acordo com o geriatra Gustavo Genelhu.

Temperatura

Segundo ele, com o envelhecimento, ocorrem mudanças nos mecanismos de autorregulação da temperatura do organismo e na percepção da sede. Ou seja, sentem menos sede.

Leia também

“A percepção de calor fica alterada. Podem sentir frio mesmo expostos a temperaturas elevadas e, com isso, usam roupas mais grossas, comprometendo a hidratação do organismo. Como ficam mais cobertos, perdem menos calor, bebem menos água e às vezes usam medicações que aumentam a diurese. O resultado final é a desidratação”, explicou o especialista.

“Deve-se aumentar a ingestão de água, mesmo sem sentir sede, usar roupas mais leves, evitar exposição ao sol em horários de pico de temperatura”, orientou o médico.

O coração também sente o impacto no calor. Segundo Marcelo Sobral, cirurgião cardivascular, as pessoas que já têm problemas cardiovasculares e as que estão dentro do grupo de risco devem estar mais alertas no verão.

“Quem é hipertenso e toma medicação deve ficar atento. O calor, por si só, já causa dilatação nas veias e artérias. Essa vasodilatação diminui a pressão arterial. Tomando um hipotensor, a pressão cai mais ainda. A pessoa pode sentir mal-estar, tontura... Por isso, é importante se hidratar bastante e evitar exposição prolongada ao calor porque a desidratação pode fazer a pressão baixar. Não se deve fazer exercícios físicos nos horários mais quentes. Se estiver em um ambiente quente, vale ir ao banheiro, jogar uma água fria no rosto. Já ajuda um pouco. É importante usar roupas mais frescas”, recomenda.

O corpo, diz Sobral, regula a temperatura por meio do suor. Mas às vezes isso não é possível. “Quanto mais tempo num ambiente quente, mais temperatura corporal pode aumentar, passar de 42 graus. E aí, as proteínas que fabricam hormônios e enzimas perdem a função. O corpo pode entrar em colapso.

Mulheres

 

 

As mulheres também ficam mais suscetíveis a problemas nesta época. A ginecologista Madalena Oliveira de Mello explica que a umidade e as altas temperaturas favorecem a proliferação de micro-organismos que podem causar infecções e processos irritativos na vulva e vagina.

“A candidíase, causada por fungos, e a vaginose bacteriana são as principais disfunções recorrentes nesse período”, aponta ela.

Algumas medidas, indica a médica, são optar por trajes frescos e roupas íntimas de algodão, usar sabonete neutro ou íntimo e trocar o biquíni molhado assim que for possível. “Manter uma boa hidratação e uma alimentação balanceada rica em lactobacilos também auxilia na prevenção de infecções. Caso haja coceira, corrimento incomum, ardência, ou lesões na região, a pessoa deve procurar seu ginecologista”.

O incômodo, a irritação e o mau humor de muita gente crescem junto com a temperatura dos termômetros. “A pressão baixa, o raciocínio diminui. O calor demais aumenta a produção de hormônios, por exemplo. Isso tira a tranquilidade”, explicou o médico Michel Assbu.

Sol demais exige hidratação, dizem os médicos. E sem água, a desidratação traz desde sérias consequências até mau hálito. “A desidratação gera diminuição da salivação, o que ocasiona um aumento na quantidade de bactérias na boca, gerando mau hálito”, diz o dentista Thiago Degli.

Michel Sanderson, 37 anos, secretário escolar, até tenta, mas não consegue fugir do sol. E aí, quando encara o calor, fica no maior mau humor: “Já não gosto de calor. E este ano, está insuportável. Saio do trabalho e tenho que encarar ônibus cheio. Fico irritado, mau humorado e com dor de cabeça”.

O QUE O CALOR PODE CAUSAR

- Pressão baixa

- Dor de cabeça

- Tonturas e desmaios

- Infecção urinária

- Candidíase, vaginose bacteriana

- Mau hálito

- Irritação, mau humor

- Desidratação

- Cansaço excessivo

- Insolação

- Cãibras

- Inchaço nas pernas

COMO AMENIZAR

Hidrate-se

O ideal é que os homens bebam 2,5 litros de água por dia; e as mulheres, 2 litros. Para saber se está bem hidratado, repare na cor na urina, que tem que ser clarinha. Vale tomar água de coco, isotônicos. Mas evite álcool, que ajuda a desidratar. Atenção para crianças e idosos, que costumam não ter muita sede

Fique fresco

Use roupas de tecidos claros e leves para facilitar a transpiração. Se possível, tome mais de um banho por dia e evite ficar debaixo do sol por muito tempo e procure locais ventilados

Fique atento

Prefira comidas leves e naturais. Não faça exercício físico nos horários mais quentes

Ver comentários