Notícia

Veja exemplos de quem sempre dá um jeito de se exercitar

Não curte academia? Não tem tempo? Quem quer, dá um jeito

Bruna Sales faz exercícios na praça, com personal trainer
Bruna Sales faz exercícios na praça, com personal trainer
Foto: Renato Biancardi

Bruna Sales é empresária da área de beleza, tem 34 anos e vive a mil por hora. Tem que se desdobrar para dar conta das clientes que tem em Vitória e em São Paulo, para onde viaja sempre, além de dar cursos para formar profissionais. Pensa numa pessoa sem tempo para mais nada. Quer dizer, quase nada. Porque ela sempre acha um espaço na agenda para se exercitar.

Todos os dias, por volta de 7 horas, ela já está pronta para treinar. Mas não é na academia que ela bate ponto, e sim na pracinha do bairro onde mora. “Sempre gostei de fazer atividade ao ar livre, ter contato com a natureza. Quando me mudei para meu bairro, lembrei da pracinha e pensei: por que não?”, conta a jovem.

Bruna é aquele exemplo inspirador para quem sempre inventa uma desculpa para fazer exercício. Não tem tempo? Não curte academia? Sem problemas. Com força de vontade e disciplina, dá para criar uma rotina de atividade física na sua vida.

Quando ouviu que a aluna queria malhar numa praça, o personal trainer de Bruna, Renato Biancardi, estranhou um pouco. Mas resolveu encarar e deu muito certo. “Tem muitas vantagens de se exercitar em espaços abertos assim, como a praça. E é um treino parecido com o da academia, só que sem aquele maquinário, sem barulho. Uso o banco, a calçada, a árvore. O resultado é o mesmo, só que é no meio da paisagem”, comenta o professor.

Disciplina

Leia também

Ali na pracinha eles se encontram pelo menos três vezes por semana. “Vou todos os dias, na verdade. Até os cachorros que vão passear lá já me conhecem. Sou disciplinada. Preciso da atividade física porque tenho problemas na coluna e no joelho. Sem ela, sinto dor, não consigo trabalhar”, diz Bruna.

Outras alunas do personal preferem a praia. “Levo cones, corda de pular. Uso até a inclinação da areia nos exercícios”, comenta Biancardi.

Já a médica Ana Carolina Cavalieri Milanez, 25 anos, descobriu outro lugar onde pudesse obter sua dose de exercício. Como o prédio onde ela mora não tem academia própria, lá foi ela para a quadra mesmo. “É só descer! Naquela área, faço agachamentos, séries com elástico, corda, pesos...”.

Capixaba, Carol faz especialização em São Paulo. Lá, não dispensa a academia. Mas quando está de volta a Vitória, acha um jeito de manter o treino em dia. “Este ano, passei 15 dias de férias aqui. Poderia ficar em casa descansando, mas contratei um personal trainer para continuar me exercitando. Acho importante até para minha saúde mental. Libera endorfina, reduz o estresse”, diz a médica.

Com uma forcinha da tecnologia, tem gente que nem precisa mais sair de casa para se exercitar. Uma pesquisa rápida na Internet e surgem diversas opções de aplicativos que oferecem treinos rápidos, de 10, 15 minutos, para quem quer emagrecer, fortalecer os músculos. Dá para obter um treino personalizado, com orientação profissional à distância.

Fernando Padilha, educador físico e especialista em treinamento funcional, resolveu investir nessa tendência quando criou um aplicativo para facilitar a vida dos alunos.

Ana Carolina Cavalieri Milanez, 25 anos, médica, faz exercícios no condomínio
Ana Carolina Cavalieri Milanez, 25 anos, médica, faz exercícios no condomínio
Foto: Renato Biancardi

Facilidade

“O objetivo do aplicativo é facilitar o dia a dia de quem deseja se exercitar, mas tem pouco tempo para ir à academia ou não quer se deslocar até uma, afinal, o treinamento pode ser adaptado de forma a ser executado dentro de casa mesmo, ou em um espaço do livre do prédio. São planilhas de exercícios desenvolvidas de acordo com as necessidades e objetivos de cada aluno, que levam em consideração diversos fatores como histórico de atividades físicas, restrições e limitações, além de dias e horários disponíveis para treino”, explica ele.

Quem adere a esse tipo de ferramenta, não fica desassistido. “O praticante ainda tem à disposição, videos com demonstrações de como executar os movimentos e, a qualquer momento, pode esclarecer suas dúvidas através dos canais de comunicação como WhatsApp”.

O tempo, dizem os professores, corre a favor de quem quer melhorar a saúde, a qualidade de vida. “Com aproximadamente 30 minutos de exercício por dia, por pelo menos quatro vezes durante a semana, a pessoa já consegue absorver benefícios para a sua saúde e atividades cotidianas”, defende Padilha.

PARA SAIR DO SEDENTARISMO VALE ATÉ GINÁSTICA E MEDITAÇÃO SOB A LUA

Depois de um dia cansativo de trabalho, a auditora fiscal Andreia Cristina Moraes Freire, 49 anos, só queria ficar em casa de pernas para o ar. Mas recebeu uma mensagem pelo celular que informava sobre uma aula de alongamento na praia naquela mesma noite. Rapidamente, ela trocou de roupa e foi. “Foi como ‘um chamado’. Acabei convencendo minha mãe de ir junto comigo”, conta ela.

O aulão, gratuito, juntou um bocado de gente na areia. Era um dia de lua cheia em pleno dezembro. Ideia da professora de pilates Merinha Braga. Acostumada a ouvir queixas das pessoas sobre a falta de tempo para se exercitar, ela resolveu propor algo diferente.

Grupo faz aula de alongamento na orla de Vila Velha
Grupo faz aula de alongamento na orla de Vila Velha
Foto: Divulgação

“Atividade física remete a sofrimento para muita gente que deixa de fazer exercício porque não quer chegar ao final de um dia exaustivo de trabalho e fazer esforço. Por isso, pensei numa aula light, ao ar livre, de alongamento, meditação. A pessoa desacelera, vai negociando com o cérebro, se reconectando com o corpo e passa a ter vontade de fazer algo”, explica a professora.

Bem-estar

Ela incluiu a meditação na aula, que se repetiu em janeiro e passou a acontecer todo mês, em dia de lua cheia. “A ciência vem mostrando o papel da meditação para a saúde, o bem-estar. Quis trazer algo diferente e fui convidando pessoas pelas redes sociais. Quanta gente mora perto da praia e não aprecia esse espetáculo da natureza, não ouve o barulho das ondas?”.

O efeito foi o esperado, e Merinha ouviu participantes prometendo mudar o estilo de vida. “Eles diziam: ‘Preciso dar um jeito, abandonar o sedentarismo’. E eu sempre levantei essa bandeira, de que é preciso sair do grupo de risco. Porque está provado que o sedentarismo é fator de risco para várias doenças”.

Andreia acaba de se matricular na academia e agora quer voltar a pedalar
Andreia acaba de se matricular na academia e agora quer voltar a pedalar
Foto: Marcelo Prest

Ali, alongando-se, muita gente descobriu que pode fazer mais, segundo ela. “O alongamento é um exercício, tem gasto calórico. Mas serviu mais até para quebrar um costume. A gente apresenta algo prazeroso num primeiro momento e vai fazendo uma boa condução, mostrando outros caminhos. Desacelerar é uma forma de começar a ser mais ativo. Você vai se envolvendo com outras pessoas na mesma ‘vibe’”.

Andreia precisava de um novo foco depois de passar uma barra pesada com um problema familiar. “Um ano e meio atrás, descobri que meu filho estava com câncer e entrei naquela loucura de tratamento. Isso durou até março, abril do ano passado. Eu, que malhava e pedalava 150 quilômetros por semana, de repente fui parando tudo. Meu filho graças a Deus venceu a doença. Mas quando o tratamento acabou, começou a me bater aquela tristeza. Não tinha vontade de voltar a me exercitar”, lembra.

O exercício naquela noite, sob a luz da lua, funcionou como um gatilho. “Achei muito bom meditar, alongar. Foi como um ‘start’ para reatar essa necessidade com o corpo. Na semana passada, já me matriculei na academia de novo, devargarzinho quero voltar a pedalar”, revela Andreia. Alguém tem dúvida de que ela vai em frente?

DICAS

Qualquer lugar vira “academia”

Se não gosta de se exercitar em locais fechados, com barulho e gente “bombada”, escolha uma atividade para fazer ao ar livre: uma praça, um parque, o calçadão da praia, a quadra do seu prédio podem servir de ambiente. Escolha algo que dê prazer: se é nadar, vá para o mar dar umas braçadas e saia renovado

Faça seu horário

Não use a falta de tempo como desculpa. Meia hora por dia de exercício já faz diferença na sua saúde e dá resultados no corpo. Acorde e mexa-se antes de ir trabalhar. Ou faça sua atividade depois do trabalho

Adapte-se

Há aplicativos que fornecem treinos para quem quer se exercitar sem sair de casa. Eles indicam séries em vários níveis para fazer no conforto do lar, na sala, por exemplo. São curtos, de 15 minutos

Ver comentários