Notícia

Quer que seu filho coma bem? Comece por você

Família inteira deve dar exemplo sobre alimentação saudável

Janaína com a filha Helena, de 7 anos: a menina segue exemplo dos pais e gosta de comida saudável
Janaína com a filha Helena, de 7 anos: a menina segue exemplo dos pais e gosta de comida saudável
Foto: Bernardo Coutinho

Seu filho dá trabalho na hora de comer? Faz manha em todo almoço e janta e cara feia para verdura? Muitos pais se desesperam na hora das refeições. Mas se esquecem de um detalhe: olhar para o próprio prato. Especialistas são unânimes ao afirmar que se os pais querem se orgulhar do filho à mesa, precisam primeiro dar o exemplo.

“As crianças aprendem com os exemplos dentro de casa. Se quisermos mudar os hábitos alimentares e cuidar da saúde de nossas crianças, precisamos começar refletindo sobre a nossa alimentação atual”, diz a nutricionista Roberta Larica.

Roberta é uma das convidadas do Encontros do Saber, evento promovido pela Rede Gazeta, cujas inscrições estão abertas. No próximo dia 5 de junho, ela fará uma palestra junto com a também nutricionista Gabriela Kapim, que apresenta o programa “Socorro! Meu filho come mal”, do canal GNT.

Com o tema “Meu filho é ruim de garfo. E agora?”, a palestra vai abordar a questão dos hábitos alimentares das crianças e, claro, da família toda.

“A alimentação da criança é reflexo do que os pais comem em casa. Não adianta pedir para seu filho não comer doces se você come todos os dias. Não adianta proibir o refrigerante se está na mesa do almoço”, ressalta Roberta.

Imitação

Segundo a nutricionista infantil Nicolle Fiorot, certas regrinhas podem ajudar a criança a se alimentar melhor. “Uma delas é os pais fazerem as refeições junto com os filhos, todos sentados à mesa. A criança aprende muito por imitação. Ali é momento de socializar, ensinar a comer, falar sobre alimentos”.

Outra dica, segundo ela, é deixar os pequenos participarem do preparo da comida. “É legal também chamá-los para ir junto à feira, ao supermercado, e mostrar a eles as frutas, as verduras”.

E na hora do almoço ou da janta, oferecer uma variedade de alimentos saudáveis. “O prato deve ter quatro ou cinco cores diferentes. Não é só arroz, feijão e carne”, comenta Nicolle.

Mas nunca se deve forçar a criança a comer. “Muitos pais fazem um prato enorme e falam para o filho raspar tudo. Mas isso pode gerar ansiedade. Ele pode ter medo de não conseguir comer tudo ou vai comer mais do que precisa. O ideal é colocar menos comida e deixar que ele peça se quiser mais”, orienta ela.

Helena, de 7 anos, segue o bom exemplo dos pais. “Ela se alimenta bem, adora verduras, como brócolis, pepino... Aqui em casa, todos gostamos de comer alimentos mais saudáveis”, confirma a mãe da menina, a designer de joias Janaína Médice, 41 anos.

Saúde

Na casa de Janaína não entra refrigerante. E Helena não faz a menor questão dele. Prefere os lanches nutritivos que a mãe prepara na cozinha.

“Passo o final de semana fazendo cookie caseiro, carne de hambúrguer, bolo... Consigo me organizar. Não vejo como perda de tempo. O que importa é a saúde. Gosto de ver minha filha levando comida gostosa e saudável para a escola”, comenta.

“Meu filho é ruim de garço. E agora?”

Palestra com a nutricionista e apresentadora do GNT Gabriela Kapim e a nutricionista Roberta Larica

Quando: 5 de junho, às 8h30

Local: Rede Gazeta

Inscrições gratuitas: gazetaonline.com.br/encontrosdosaber

SEM DRAMA NAS REFEIÇÕES

Tenha paciência

Seja paciente ao apresentar novos alimentos ao seu filho. Ele precisa de tempo para se acostumar com sabores diferentes

Todos juntos

Sempre que possível, faça das refeições um momento agradável em família, com todos à mesa comendo juntos, sem celular nem TV para tirar a atenção

Sem recompensa

Nada de prometer um docinho como recompensa para seu filho raspar o prato, pois ele pode entender que a refeição é um momento chato

Seja exemplo

Não adianta dizer para a criança comer alface se no seu prato só tem arroz, feijão e carne. Mostre que é preciso experimentar de tudo

Não force

Nada de obrigar a criança a comer a comida que está no prato. Ela vai ter o instinto de rejeitar tudo. Vá com calma e pense se não é melhor voltar a oferecer depois de um tempo

Quantidade

Não exagere no tamanho do prato. Coloque menos comida e deixe seu filho pedir para repetir, se for o caso. Muita comida à frente pode deixá-lo ansioso, com medo de não atender às suas expectativas

Chega de “beliscos”

Evite oferecer petiscos, comidas e doces fora de hora ao longo do dia. Isso pode prejudicar a fome na hora das refeições

Ver comentários