Notícia

Mostra Morar Mais Por Menos abre as portas em Jardim Camburi

Evento tem 35 ambientes que apostam na sustentabilidade e customização

Depois de um intervalo de dois anos, a mostra Morar Mais Por Menos abriu as portas ontem, na mesma casa de Jardim Camburi, em Vitória, onde foi realizada a edição anterior. O imóvel tem dois andares, num terreno de 1.800 metros quadrados, na Avenida Dante Michelini. “Escolhemos fazer no mesmo lugar porque aqui será um empreendimento imobiliário, será a nossa despedida. Mas quem visitar encontrará tudo totalmente diferente, novos olhares dos profissionais participantes”, explica a organizadora Gabriela Iamonde.

Com 35 ambientes e a participação de 50 profissionais, o evento continua com os mesmos conceitos: apresentar uma decoração com foco na sustentabilidade, na customização, na inclusão social, na brasilidade e em tecnologias. O valor da entrada é R$ 50 e assinantes do jornal A GAZETA tem desconto de 50%. A mostra fica aberta ao público até o dia 30 de setembro, exibindo ideias criativas dos profissionais que usaram, em diversos momentos, reutilização de materiais e objetos simples.

A casa apresenta inovação no quesito revestimento, soluções diferentes para divisórias e muito material customizado. Outra novidade é que, pela primeira vez, terá uma praça de alimentação na área externa aberta ao público em geral com uma agenda cultural. Visitamos a casa em obras e mostramos alguns ambientes pra você.

Cozinha

Cozinha da msotra
Cozinha da msotra
Foto: Carlos Alberto Silva

A parede feita com pedras fucsitas promete ser a sensação na cozinha projetada por Livia Parreira, Monika Serrão e Maiara Monjardim. “São semipreciosas”, diz Livia. A adega, que recebe uma iluminação própria, é feita de vergalhões. A bancada, desenhada pelas próprias profissionais, é feita com quartzo. O teto é de cimento com cola. “Também pensamos em soluções de marcenaria para pequenos apartamentos, como a gaveta vertical”, conta Livia. Fique de olho no mobiliário assinado pela f.studio arquitetura design, como o banco urbe, assento em bloquete de concreto e estrutura em ferro maciço.

Cervejaria

Cervejaria da mostra
Cervejaria da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

O espaço da Cervejaria foi focado na sustentabilidade. As duas luminárias no teto - que, na verdade, eram uma roda de bicicleta e um colhedor de frutas - foram customizadas e transformadas por Larissa Zom e Patricia Costa, responsáveis pelo projeto. Tonéis reutilizados pintados de preto se transformaram em aparadores. Os pés de ferro das mesas foram encontrados num ferro velho e receberam um suporte de madeira. O revestimento cerâmico na parede imita tijolo. Para dar uma graça ao espaço de 20 metros quadrados, foi criado um painel preto com arte em giz feita pelo artista Lucas Pianes.

 Quarto dos jovens

Quarto dos jovens da mostra
Quarto dos jovens da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

O chão feito de cimento queimado com pedra quartzito lixado chama atenção no projeto de Ivan Lopes, Mário Osório, Marilha Cavanellas e Thais Mourad. Eles também pensaram numa forma criativa para dividir o quarto de 19 metros quadrados entre dois irmãos adolescentes – um skatista e uma blogueira. Roladores com cordas náuticas funcionaram como divisória entra as camas. O investimento maior ficou no mobiliário, todos modulados. Obras de artes chamam atenção no espaço. Para arrematar o projeto, almofadas, iluminação em trilhos, tanto no teto quanto na parede, e tubos de PVC que se transformam em luminárias.

Estúdio de maquiagem

Estúdio de maquiagem da mostra
Estúdio de maquiagem da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

A arquiteta Maria Augusta Bittencourt homenageia uma maquiadora em seu espaço. Para deixar o ambiente com cara de moderno, ela aposta no piso cimentado e no revestimento com laca, além de um painel 3D. “A ideia foi criar um espaço para a mulher ficar à vontade e com toda a praticidade”, comenta. O cobogó – com algumas peças removíveis – também chama atenção do visitante. Ela também aposta nos adornos dourados e no jardim vertical com samambaias. “Elas são ideais para ambientes fechados e sem iluminação natural”.

Sala de jantar

sala de jantar da mostra
sala de jantar da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

As peças restauradas pelo designer de interiores Daniel Mecchi, responsável pelo espaço, têm tudo para ser as atrações da sala de jantar. O armário achado numa farmácia virou uma cristaleira. O carro-bar também foi reformado, assim como duas cadeiras da mesa de jantar que estão nas cabeceiras. Já as luminárias de um galpão se transformaram em pendentes. O cobogó, que fica na entrada do lavabo, foi apenas pintado de marrom. É o mesmo da mostra anterior. “Com a pintura deu uma nova cara”, diz Daniel.

Loft

Loft da mostra
Loft da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

Inspirado no viajante mochileiro, Thalita Bozi e Wanneska Amancio criaram um loft com sala e cozinha integrados, banheiro e quarto com a cama suspensa. O móvel, com cinco funcionalidades (inclusive mesa e adega) foi feito de madeira e desenhado por Wanneska. No piso, elas optaram pelo porcelanato e o teto chapiscado. Assim como em outros ambientes da mostra, a dupla também aposta na iluminação de trilho. Objetos que remetem a lugares por onde o morador já passou decoram todo o espaço de 32 metros quadrados.

Galeria de artes

Espaço das artes da mostra
Espaço das artes da mostra
Foto: Carlos Alberto Silva

Patricia Grasseli criou um espaço de 40 metros quadrados inspirado num escritório/lounge de um artista plástico. “Ao mesmo tempo que é sofisticado, pensei num estilo low profile”, comenta. Uma tela de ferro – retirada de uma obra – é o destaque do espaço. Móveis assinados compõem o ambiente, além, claro, de cerca de 10 obras de artes.

Quarto do bebê

Quarto do bebê da msotra
Quarto do bebê da msotra
Foto: Carlos Alberto Silva

Um quarto de criança que foge totalmente do convencional. Com a temática brasilidade – com a fauna e a flora como destaque –, Gabryella Cunha criou o quarto de bebê voltado para ambos os sexos. O piso imita madeira, e na parede foi colado um papel de parede colorido. Há ainda almofadas customizadas. E o mobiliário acompanha o crescimento da criança até os 3 anos.

Ver comentários