Notícia

Como garantir o bronze perfeito às vésperas do verão

Dermatologista e especialista em bronzeamento indicam os procedimentos ideais para quem quer ficar com a pele dourada, seja de forma natural ou artificial

O calor já voltou a dar o ar da graça, e o verão dita a regra: bronzeado já! O problema maior é que passada a temporada de Sol o dourado do corpo vai embora e, ainda assim, nem sempre todo mundo atinge aquele tom que é o mais desejado da estação. Mas existem diversas fórmulas que conseguem potencializar o efeito moreno na pele e fazer com que horas “trabalhadas” na pérgola da piscina ou na beira da praia surtem mais efeito do que só alguns dias.

Para quem prefere essa última opção, como sentar a beira da piscina ou praia, alguns métodos podem ser incluídos na rotina. “Três semanas antes de tomar sol, o ideal seria começar a comer alimentos ricos em vitamina A e betacaroteno, como cenoura, manga, mamão, couve, espinafre, abóbora, batata doce, repolho, agrião e brócolis. Essas substâncias ajudam a ativar o bronzeado, e também podem ser consumidas em pílulas orais manipuladas”, explicou a dermatologista Patrícia Friço.

A esfoliação da pele também faz parte da preparação para um bronzeado ideal. “A esfoliação remove resíduos superficiais e deixa a pele mais bonita e com uma cor mais homogênea”, destacou a médica. Ela avalia que o procedimento deve ser feito até dois dias antes de se expor ao sol, pois depois da exposição a pele estará muito sensível.

Leia também

A dermatologista ainda alerta que são necessárias várias sessões para que se conquiste o bronzeado ideal. “Não adianta querer ficar bronzeado no primeiro dia de banho de sol. O recomendado é fazer várias sessões, que não passem de uma hora cada. Essa medida evita queimaduras e estimula a produção de melanina, o que levará ao bronzeado duradouro”, esclareceu.

O protetor solar também é parte indispensável do processo de bronzeamento, pois ele protege contra a radiação solar, evitando desde queimaduras ao câncer de pele, e o fator de proteção correto para quem está no processo de bronzeamento é o 30. “Um fator inferior ao 30 não protege a pele, e um superior não deixa pele se bronzear”, complementou Patrícia. O protetor deve ser espalhado de maneira uniforme sobre a pele, aplicado 30 minutos antes da exposição, e reaplicado a cada duas horas, mas também depois do contato com a água, ou suor excessivo.

Lembrando que a radiação UVA - responsável por deixar a pele na cor do pecado - está presente ao longo de todo o dia, mesmo com o tempo nublado. Mas é preciso se proteger da UVB, que provoca queimaduras. Por isso, os horários corretos de se expor ao sol são: antes das 10h, e depois das 16h.

Jaqueline toma sol todos os dias, mas sempre com protetor solar e em horários apropriados
Jaqueline toma sol todos os dias, mas sempre com protetor solar e em horários apropriados
Foto: Arquivo Pessoal

A universitária Jaqueline Damasceno vai a praia em dias alternados da semana, e afirma que a rotina veio com a vontade de ter a pele mais dourada e brilhante. “Quando eu tinha 15 anos queria ter uma pele mais bronzeada, e desde então comecei a tomar mais sol”, contou a estudante.

Ela explica que o método também ajuda na melhor absorção de vitaminas pela pele, como a vitamina D, e por isso não abre mão do sol. “Sempre vou à praia em horários certos, como pela manhã, e não deixo de levar meu protetor”, acrescentou ela. “Me sinto mais bonita assim. Além disso, passei a usar menos maquiagem já que minha pele ficou mais natural e o rosto com aquele aspecto ‘rosadinho’”, finalizou a universitária.

Foto: Divulgação

Para quem não tem tempo de se bronzear gradualmente, ou prefere já sair renovada com a “cor do verão” em apenas um dia, uma opção são as clínicas de bronzeamento, que oferecem sessões de bronze natural e artificial. “No bronzeamento natural, a pele é exposta à luz solar de forma controlada. Já no artificial, optamos pelo jato. Os dois métodos são eficientes e garantem bons resultados”, explicou a especialista em bronzeamento Élida Torezani.

Ela esclarece ainda que o bronzeamento natural tem efeito mais duradouro e pode ser feito até em dias nublados. “Esse método é aquele famoso ‘sol na laje’. Lá a exposição ao sol é feita de forma controlada e com o uso de produtos que potencializam o efeito sem agredir a pele”, destacou Élida.

O bronzeamento a jato é outra alternativa feita em clínicas especializadas. “A aplicação é feita sobre a pele e não oferece riscos. E o bronze é rápido e instantâneo. Nesse procedimento o mais importante é procurar empresas sérias para não colocar a saúde da pele em risco”, indicou a especialista.

A autônoma Michelly Zani optou pelo bronze a jato por sua praticidade e também para evitar a exposição excessiva ao sol. Ela já faz o procedimento há três anos, e garante que os resultados até elevam a autoestima. “Decidi começar por ser uma forma rápida de ganhar a cor do verão. Agora chega a ser viciante, e indico para quem não tem muito tempo de ir a praia, mas quer ter a pele bronzeada”, destacou Michelly.

Nathalia Gomes se apaixonou pelo bronzeamento natural em clínica
Nathalia Gomes se apaixonou pelo bronzeamento natural em clínica
Foto: Divulgação

 

 

A vendedora Nathalia Gomes é adepta do procedimento natural de bronzeamento em clínica. “Fiquei tão satisfeita com o resultado que não quero mais saber de outra coisa”, brincou.

 

 

Ver comentários