Notícia

Como podemos garantir uma aposentadoria mais tranquila?

Ouça o comentário de Bruno Funchal no CBN Economia e Você desta sexta-feira (16)

Em épocas de debate sobre reforma da previdência, algumas certezas nós já temos. A primeira é que se nada for feito, dificilmente receberemos aposentadoria pelo sistema de previdência pública (INSS ou regimes especiais). A segunda é que, com a reforma da previdência, precisaremos trabalhar por muito mais tempo ou receberemos um percentual menor de aposentadoria.

Por tudo isso, o planejamento previdenciário vem ganhando importância nos últimos meses. Esse planejamento permite que as pessoas fiquem cada vez menos dependentes do sistema público, trazendo maior tranquilidade para o período de aposentadoria.

É importante termos em mente que o fruto de nossa poupança ao longo da vida é o que será utilizado para nossa aposentadoria. Portanto quanto antes começarmos a nos planejar, poupando para a aposentadoria, mais fácil é cumprir nossos objetivos futuros e termos uma aposentadoria mais tranquila. Em resumo, o montante a ser usado na aposentadoria é resultado do esforço de poupança e dos investimentos. Quanto mais puder poupar e quanto mais tempo mais tranquila será a fase de aposentadoria.

Elementos importantes que facilitam a previdência privada:

1. Quanto antes começar a poupar para a aposentadoria, menor será o esforço;

2. A escolha do investimento precisa estar alinhada com a fase de vida;

3. Investimentos de maior risco são indicados apenas para pessoas em fase inicial de poupança;

4. Pessoas prestes a se aposentar ou aposentados devem investir em ativos que preservem o valor do dinheiro, de baixíssimo risco, como os títulos do tesouro pós-fixados.

5. É importante que haja disciplina por parte da pessoa, e que seja feito um acompanhamento periódico para checar se as metas de poupança definidas estão sendo cumpridas. Caso contrário o planejamento deve revisto, ajustando o valor a ser poupado ou tempo de poupança.

Faremos agora uma simulação para mostrar a relevância de dois elementos importantes de uma previdência privada. Suponha uma pessoa de 30 anos que pretende se aposentar com 65 aos de idade. Essa pessoa possui uma renda de R$ 8000,00 e deseja manter seu padrão de vida após a aposentadoria. Vamos supor uma expectativa de vida de 80 anos e um investimento que apenas corrige a inflação, algo próximo a poupança hoje.

O INSS daria, aproximadamente, 80% do valor integral. Se a contribuição é sobre o teto, aos 65 anos a pessoa teria direito a R$ 4100 pelo INSS. Para manter o padrão de vida seria necessária uma poupança de R$ 1.200,00 por mês. Dessa forma a o padrão de vida de R$ 6800 seria mantido dos 30 aos 80 anos.

Para vermos como é importante o planejamento e a antecipação desse início de poupança, vamos imaginar que a pessoa agora começa a poupar aos 25 anos, e continua se aposentando aos 65. Assim, para bancar seus 15 anos de aposentadoria, acumula recursos por 40 anos, ao invés de 35 anos. Nessa situação, poupando R$ 1000,00 por mês seria possível manter o padrão de vida, nesse caso de R$ 7000, dos 25 aos 80 anos.

Outro elemento muito importante para o planejamento da previdência privada é o tipo de ativo que a poupança está sendo alocada. Vamos imaginar que, ao invés da poupança, os recursos fossem alocados em títulos do tesouro indexado a inflação. Hoje, esses títulos corrigem pela inflação e pagam mais 6% ao ano (Tesouro IPCA 2050 por exemplo). Aplicando o que foi poupado nesses títulos ao longo do tempo, a poupança que antes era de R$ 1200 para manter um padrão de vida de consumo de R$ 6800 passa a uma poupança de R$ 620 reais para manter um padrão de consumo de R$ 7380.

Esses três exemplos mostram quão importante é o planejamento em si, começando o quanto antes a poupar para a aposentadoria e escolhendo bem como fazê-lo, isto é, qual ativo está mais alinhado com suas necessidades.

Fonte: Bruno Funchal/ Doutor em Economia

Ver comentários