Notícia

Setor moveleiro capixaba avança na indústria 4.0 e uso de catálogo 3D

Indústria moveleira capixaba amarga cinco anos seguidos de queda, mas em 2019 já vem observando recuperação. Uso de tecnologia é chave para não perder mercado

Indústria Moveleira
Indústria Moveleira
Foto: Arquivo AG

Nesta edição do "CBN Inovação", o comentarista Evandro Milet analisa que a inovação está em processos de produção de setores que nem sempre o grande público consumidor tem em mente. É o caso da indústria moveleira do Espírito Santo que, para atrair mercado e aprimorar as demandas, utiliza até mesmo impressoras 3D para produção de catálogo ou protótipos. Quem explica melhor é o Luiz Rigoni, presidente da Câmara Setorial da Indústria Moveleira. Ouça os detalhes completos:

O presidente também fala sobre o impacto da tecnologia no setor, é a indústria 4.0. "Desde inovações realizadas com a utilização de novos equipamentos para as linhas de produção - com o uso de modernos computadores - até a automação de peças esses são alguns dos destaques que já podem ser observados no Espírito Santo", diz. 

 

 

Rigoni de como usar a internet como aliada. “Hoje temos produção na Internet com vídeos, muito bem elaborados, que mostram como as linhas de produção têm se desenvolvido e como o mercado de móveis está antenado às transformações digitais”, explica. As visitações que são realizadas às feiras do setor, até internacionalmente, também são fundamentais para que se ficar atento ao que está sendo produzido de mais moderno no mercado.

 

 

Ele também cita que o setor moveleiro foi um dos que mais sofreram com a crise econômica do últimos anos - tendo como base o cenário exportador -, mas, que agora já é possível se vislumbrar uma melhoria no setor e sinais de recuperação. O polo moveleiro no município de Linhares, no Norte do Estado, é citado como exemplo para a tendência de recuperação.

Ver comentários