Notícia

De problemas físicos a emocionais: como ter um pet faz bem à saúde

Animal de estimação: benefícios para a saúde
Animal de estimação: benefícios para a saúde
Foto: Reprodução

Não há dúvidas que os pets alegram a nossa vida, deixando nossos dias mais leves e descontraídos. Eles são uma fonte de afeto e amor incondicional, sem cobranças ou julgamentos, e são nossos companheiros independentemente de nossa condição física, emocional ou financeira o que por si só já nos traz enormes benefícios, como a comentarista Tatiana Sacchi explica neste quadro "Clube Pet CBN".

"Aliado a isso, existem inúmeros estudos que comprovam os benefícios do animal de estimação como auxiliar nos mais diversos tratamentos de condições físicas, psicológicas ou emocionais, tanto em crianças como em adultos e idosos", destaca. Os animais ajudam a romper barreiras entre o paciente, o terapeuta e as terapias que precisam ser instituídas. Ouça e entenda:

Saiba mais:

 

- ANSIEDADE e STRESS

O contato com animais diminui os níveis de cortisol, conhecido como o hormônio do stress e os níveis de adrenalina, ajudando a controlar a pressão arterial.

Além disso, eles são responsáveis por aumentar a liberação de endorfinas, prolactina, ocitocina e acetilcolina hormônios relacionados ao bem estar e estado de tranquilidade, o que reduz a pressão arterial e as frequências cardíaca e respiratória.

- SOLIDÃO, TRISTEZA E DEPRESSÃO

Em pessoas com quadro de depressão os animais de estimação ajudam a melhorar a autoestima, estimulando o afeto positivo e o interesse pelo outro. Os cães podem fazer com que a pessoa seja estimulada a sair à rua para passear o que pode promover a interação humana e facilitar a aproximação de pessoas.

Eles também estimulam a produção e liberação de serotonina e dopamina, hormônios que dão a sensação de alegria e prazer.

- DOENÇAS CARDIOVASCULARES

Pessoas que vivem sozinhas e possuem um cão tem 11% menos chance de infartar e 33% menos risco de morte por infarto. Além do risco de morte por infarto ser menor, o cão pode ajudar reduzir o tempo de hospitalização do seu tutor.

Quem tem cães e gatos apresentam taxas menores de colesterol e triglicérides diminuindo o risco de aterosclerose e consequentemente de infarto.

Os cães podem ainda estimular as pessoas que fumam e tem sobrepeso a terem hábitos de vida mais saudáveis.

- TRATAMENTO DO CÂNCER

Nesse caso, os pets atuam como companheiros mesmo diminuindo a sensação de solidão e proporcionando alívio da dor física e emocional provocados pelo próprio câncer e seu tratamento, reduzindo sintomas de depressão e ansiedade.

Estudos feitos com crianças hospitalizadas para tratamento de câncer, antes e após as visitas de animais, comprova que há diminuição dos níveis de ansiedade e seus quadros permanecem mais estáveis do que nas crianças que não receberam essas visitas. Os acompanhantes também se beneficiam da terapia.

Os pets também ajudam a criança a aderir melhor o tratamento.

- QUADROS DE PARALISIA CEREBRAL, AVCS E DERRAMES

A interação com os animais é fundamental para a evolução da atividade motora e dos aspectos cognitivos envolvidos nesses quadros.

Se um animal está presente durante o tratamento, ele ajuda a mudar o foco da doença para ele tornando o processo mais leve, alegre e prazeroso. Um exemplo clássico é a equoterapia.

- QUADROS ALÉRGICOS

Crianças criadas em lares que tem cães e gatos tem metade das chances de desenvolver problemas alérgicos respiratórios, pois o contato com os pets estimula o sistema imunológico a desenvolver suas defesas naturais.

[Fonte: Tatiana Sacchi]

Ver comentários