Notícia

Conheça os cuidados necessários com o coração do seu pet

Estima-se que mais de 35% dos cães acima de 8 anos possuem algum grau de doença cardíaca e grande parte desses animais são diagnosticados tardiamente

Cães: cuidados também devem ser observados
Cães: cuidados também devem ser observados
Foto: Pixabay

 

A saúde cardíaca dos pets precisa receber atenção. Nesta edição do "Clube Pet CBN", a comentarista Tatiana Sacchi analisa que, com o aumento da expectativa de vida de cães e gatos, é fundamental ficarmos atentos às doenças cardíacas mais comuns de se querem adquiridas pelos animais e como evitar esses problema. Confira as orientações:

 

SAIBA MAIS:

Com o aumento da expectativa de vida de cães e gatos e a predileção por algumas raças predispostas à doenças de caráter crônico, o diagnóstico das doenças cardíacas é cada vez mais frequente no dia a dia do médico veterinário. Já com a doença em estágio avançado, conhecida como insuficiência cardíaca, contribui para uma menor resposta ao tratamento, menos qualidade de vida do animal e menor sobrevida.

A maioria das doenças cardíacas não têm cura e são progressivas, portanto, quanto antes forem diagnosticas, melhor será a resposta ao tratamento e mais tempo ele permanecerá estável e com qualidade de vida.

Em cães, as doenças cardíacas adquiridas mais comuns são:

- Insuficiência da Valva Mitral: doença que ocorre quando a valva mitral se degenera e não consegue mais exercer sua função. Representa mais de 70% das doenças cardíacas em cães, sendo mais comum nos cães de pequeno porte como Poodle, Pinscher, Yorkshitre, Schnauzer. Os sinais que o animal costuma apresentar são tosse seca, cansaço, fraqueza, dificuldade respiratória;

- Cardiomiopatia: doença que causa arritmias, fraqueza e alterações do músculo cardíaco é mais comum em cães de grande porte, em especial Boxer, Doberman, Bulldogue Inglês. O Cocker Spaniel e o Teckel também são predispostos à doença. A fraqueza e desmaio são os sinais mais comuns, mas muitas vezes o animal pode ter morte súbita por arritmias cardíacas;

- Dirofilariose: doença parasitária também conhecida como verme do coração, é transmitida pela picada de mosquito. Comum em regiões litorâneas e próximas à lagoas e áreas de vegetação. Pode ser prevenida através da administração mensal de antiparasitários;

Em gatos, a doença cardíaca adquirida mais comum é:

- Cardiomiopatia Hipertrófica: doença que leva a um espessamento exagerado da musculatura do coração, o qual não consegue ser preenchido adequadamente por sangue. É uma doença silenciosa na maioria das vezes. Alguns animais podem ter insuficiência cardíaca e/ou apresentar quadros de trombose principalmente nas pernas traseiras;

Diferente de nós humanos, os cães e gatos com doenças do coração raramente sofrem de aterosclerose (entupimento de vasos por formação de placas de gordura) e mais raramente ainda sofrem infarto. Eles estão sujeitos ao acúmulo de água no pulmão (edema pulmonar), à formação de trombos, arritmias e parada cardíaca.

Para o diagnóstico precoce da doença cardíaca em cães e gatos é importante:

- Procurar saber o histórico familiar do animal devido ao caráter racial e familiar das doenças cardíacas;

- Levar o animal periodicamente ao veterinário para exame clínico de rotina;

- Fazer avaliação cardíaca em animais acima de 7 anos, especialmente o ecocardiograma e eletrocardiograma;

- Observar o aparecimento de sinais de doença cardíaca tais como:

- Intolerância ao exercício;

- Tosse seca, especialmente noturna;

- Dificuldade para respirar e/ou ofegância;

- Fraqueza, tontura e/ou desmaio;

- Convulsões;

- Língua arroxeada;

- Falta de apetite e perda de peso.

Outras doenças tais como a obesidade e as doenças respiratórias crônicas podem ter sinais semelhantes às da doença cardíaca, por isso é importante um correto diagnostico, preferencialmente com o médico veterinário cardiologista.

Os exames mais comumente solicitados para avaliação cardiorrespiratória são o ecocardiograma (ultrassom do coração), o eletrocardiograma, o raio-x de tórax, a mensuração de pressão arterial e os exames de sangue para avaliação geral. Em alguns casos pode ser solicitado o holter, que é o monitoramento eletrocardiográfico de 24 horas.

Como as doenças cardíacas não tem cura, os objetivos do tratamento são:

- Melhorar a função do coração

- Diminuir os sintomas apresentados

- Melhorar a qualidade de vida do animal

- Manter o peso e a ingestão calórica adequada

Ver comentários