Notícia

Essa coceira é normal? Doenças dermatológicas podem atingir os pets

Ao identificar uma coceira anormal e persistente no seu animal, leve-o ao veterinário para uma consulta dermatológica. É importante que o animal vá à consulta sem tomar banho há pelo menos uma semana

Ouça o quadro e entenda mais sobre a coceira nos animais
Ouça o quadro e entenda mais sobre a coceira nos animais
Foto: Reprodução

Nesta edição do "Clube Pet CBN", a comentarista Tatiana Sacchi explica sobre situações que envolvem aquela insistente coceira que parece não ter fim para os pets. "É normal que cães e gatos tenham uma coceira (tecnicamente chamada de prurido) leve, algumas vezes ao dia e que não necessariamente significa um problema dermatológico", disse.

Mas a atenção não pode diminuir. “Quando a coceira ocorre de forma moderada a intensa ela pode causar desconforto tanto para o animal quanto para as pessoas que convivem com ele, chegando inclusive a afetar sua qualidade de vida, à medida que existem animais que passam a viver para se coçar, deixando até de interagir com as pessoas, acordando para se coçar ou até mesmo deixando de se alimentar corretamente”, explica.

Ouça as orientações:

SAIBA MAIS:

A coceira (ou prurido) se manifesta de formas diversas que nem sempre são claras para quem convive com o animal. Todos já vimos eles coçarem as orelhas, a barriga e o tronco com as patas. Mas lamber repetidamente determinadas áreas do corpo, esfregar o focinho ou corpo no chão, tapetes e móveis, arrancar pelos, mordiscar e “mastigar” o corpo e as patas e em casos mais graves até se auto-mutilar também são outras formas de se coçar.

Quanto às causas da coceira, existe uma gama de doenças dermatológicas que a provocam, e isso pode ser um desafio para o veterinário diagnosticar e tratar.

As causas mais comuns para a coceira em cães e gatos são as alergias como a dermatite alérgica à picada de pulgas e carrapatos, alergia alimentar e atopia (alergia à substâncias do ambiente); parasitas como sarna, pulgas, carrapatos e piolhos; infecções bacterianas e fúngicas; doenças imunomediadas; neoplasias cutâneas e até quadros psicológicos que são os mais difíceis de diagnosticar.

Algumas raças de cão são predispostas aos diferentes tipos de alergia como Shi-tzu, Lhasa Apso, Pug, Westie, Yorkshire, Cocker, Schnauzer, Labrador, Golden Retrivier, Dálmata, Shar-Pei e Boxer.

Ao identificar uma coceira anormal e persistente no seu animal, leve-o ao veterinário para uma consulta dermatológica. É importante que o animal vá à consulta sem tomar banho há pelo menos uma semana e que o responsável tenha o maior número de informações possíveis, tais como:

- Como é a coceira: região, frequência, intensidade

- Todos os alimentos que o animal come

- Tipo de ambiente em que vive

- Produtos usados para banho, limpeza, desinfecção

- Hábitos no dia-a-dia como passeio, saídas à rua, contato com outros animais

- Tratamentos anteriores já realizados e grau de melhora

Lembre-se que em muitos casos não há cura do problema, apenas controle do quadro e melhoria da qualidade de vida do animal.

Ver comentários