Notícia

Como funciona o divórcio sem litígio, chamado de colaborativo?

Ouça o quadro Questões de Família e entenda o processo

O divórcio, principalmente litigioso, pode ser um processo doloroso para as pessoas envolvidas, mas uma iniciativa chamada ‘divórcio colaborativo’, que baseia-se em uma comunicação pacífica e, sobretudo, o diálogo para a formalização de acordos sustentáveis, pode ser a saída para uma separação descomplicada. É sobre este assunto que o Questões de Família aborda nesta segunda-feira (22). Quem conversa com o comentarista José Eduardo Coelho Dias é Olivia Fürst, advogada colaborativa e cofundadora do Instituto Brasileiro de Práticas Colaborativas.

A prática do divórcio colaborativo teve origem nos Estados Unidos, na década de 1990, e já possui profissionais especializados em advocacia colaborativa aqui no Brasil. Segundo Olivia, o divórcio é “muito mais emocional do que jurídico” e “se olharmos apenas pela lente jurídica, a abordagem fica empobrecida e não alcança o verdadeiro desafio do casal e da família”. 

 

 

Ver comentários