Notícia

As cidades do ES que têm mais aposentados do que trabalhadores

Segundo o economista Juliano César Gomes, os 27 municípios capixabas que possuem mais aposentados que trabalhadores serem sofrem com outro problema: a falta de dinamismo na economia local

Um terço das cidades brasileiras tem mais aposentados do INSS que trabalhadores formais. Esse foi o cenário detectado, nesta semana, por O Globo. E em um levantamento feito por A GAZETA, com base em dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), de números de aposentados do INSS e dos regimes próprios disponibilizados pela Secretaria da Previdência, revelam que essa balança é desigual em 27 cidades, todas de pequeno porte. Não foram considerados servidores estaduais e federais, ativos e inativos, por não ser possível quantificá-los por município.

Muniz Freire, Alto Rio Novo, Pancas, Conceição do Castelo, Afonso Cláudio, Alegre, Brejetuba, Ibatiba, Água Doce do Norte, Mimoso do Sul, Santa Teresa, Jerônimo Monteiro, Rio Bananal, Águia Branca, Iúna, Muqui, Itapemirim, Itarana, Boa Esperança, Ibitirama, Apiacá, Irupi, Rio Novo do Sul, Alfredo Chaves, Ecoporanga, Baixo Guandu e Vila Pavão são as cidades. Para detalhar esse cenário convidamos o economista Juliano César Gomes. Para ele, o fato de todos esses municípios com mais aposentados que trabalhadores serem pequenos aponta ainda para outro problema: o da falta de dinamismo na economia local.

Ele explica que são localidades voltadas ao setor primário, que é a agricultura, e de forma menor para o comércio. “Mas não têm grandes projetos industriais, por exemplo, que é o setor mais intensivo para criar empregos. Essas plantas industriais costumam ficar nos grandes centros”, explica. Confira a entrevista!

Ver comentários