Notícia

Excesso de velocidade pode ter contribuído para tragédia na Serra

De acordo com o Inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Valdo Lemos, a confirmação do excesso de velocidade só poderá ser feita após análise do tacógrafo do veículo, mas a dinâmica do acidente leva a crer que o veículo estava trafegando acima da velocidade permitida no trecho, que é de 60 KM

A Polícia Rodoviária Federal acredita que o excesso de velocidade tenha contribuído para que o caminhão carregado com uma pedra de granito tombasse na BR 101, na Serra, resultando em um grave acidente que levou a morte de três pessoas de uma mesma família.

De acordo com o Inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Valdo Lemos, a confirmação do excesso de velocidade só poderá ser feita após análise do tacógrafo do veículo, mas a dinâmica do acidente leva a crer que o veículo estava trafegando acima da velocidade permitida no trecho, que é de 60 KM. 

Três pessoas da mesma família morreram e uma criança está internada em estado grave após o carro em que estavam colidir com um caminhão que tombou na BR 101, na localidade de Chapada Grande, na Serra, na noite da última segunda-feira (10). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a carreta tombou junto com a pedra e invadiu a contramão. O carro da família vinha no sentido contrário e foi atingido pelo caminhão, ficando destruído.

Após o acidente, o motorista da carreta fez o teste do bafômetro, que deu negativo. Momentos depois ele saiu do local com um amigo, sem avisar as autoridades policiais, em direção ao Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra, onde foi atendido. O homem saiu do hospital e ainda não foi localizado. Na tarde desta terça-feira (11), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que uma advogada que afirmou representar o motorista disse ao órgão que entrará em contato com a Polícia Civil para programar a apresentação dele nesta quarta-feira (12) à delegacia.

O condutor do automóvel Ozineto Rodrigues, de 38 anos, a esposa Danielli Martins, 34, e o filho mais novo Lucca Rodrigues, de um ano e quatro meses morreram no local. O filho mais velho, Gabriel Rodrigues, de 11 anos, está internado em estado grave no Hospital Infantil de Vitória.

Ver comentários