Notícia

Governo diz que não irá recuar da decisão de rodar sem cobrador

Ouça a entrevista com o secretário de Estado de Mobilidade, Fabio Damasceno

O Governo do Estado garante que não irá recuar na decisão de colocar em circulação ônibus do Sistema Transcol com ar condicionado e sem a presença do cobrador. De acordo com o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, os tempos são outros, mas que os empregos estão garantidos em outras atividades ligadas ao transporte coletivo. O governo deve recorrer novamente à justiça para garantir a volta do transporte público. Segundo Damasceno, dos 1500 veículos que compõem a frota, menos de 50 estão circulando, além da paralisação dos ônibus municipais. 

 

 

O sindicato dos rodoviários é contra os novos tipos de ônibus, refrigerados, que deveriam começar a rodar nesta segunda-feira. Os veículos não circularão com cobradores. O governo determinou às empresas a requalificação desses trabalhadores para que eles sejam direcionados a outras funções. O sindicato entende que a medida vai ocasionar mais demissões, em pleno contexto de desemprego em alta.

> Acompanhe em tempo real os efeitos da Greve dos Rodoviários

Na última terça-feira (06) a categoria se reuniu em assembleia extraordinária. Na ocasião, os rodoviários autorizaram o sindicato a "promover greve em todo o sistema de transporte de passageiros da Grande Vitória", caso não avançassem negociações com o governo. Na quinta-feira (08), houve reunião entre sindicalistas e representantes do Palácio Anchieta. O Executivo manteve a entrada em circulação dos ônibus diferenciados para esta segunda. Na última sexta-feira (09), o sindicato anunciou o movimento no Facebook: "vamos parar tudo".

O QUE DIZ A JUSTIÇA?

Além de exigir 75% da frota na rua, o juiz Aldary Nunes Junior impede que os rodoviários façam bloqueios de trânsito, impeçam a saída dos veículos das garagens e circulem com as catracas liberadas. Autor da ação judicial, o Estado considera a greve "despropositada", uma vez que há a promessa de não haver demissões.

Ver comentários