Notícia

Saque-aniversário do FGTS: trabalhador deve analisar regras

Saque-aniversário do FGTS: afinal, devo sacar?

Aplicativo Caixa Econômica Federal- FGTS.
Aplicativo Caixa Econômica Federal- FGTS.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal anunciou as regras do saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os trabalhadores que desejam aderir à modalidade de saques anuais do Fundo de Garantia podem registrar essa opção a partir desta terça-feira (1º), por meio de um aplicativo de celular ou então pelo site da Caixa Econômica Federal. O trabalhador que optar pelo saque-aniversário continuará a ter direito à multa de 40% em caso de demissão, mas perderá o direito ao saque-rescisão, isto é, não poderá retirar o saldo total de sua conta do FGTS ao ser demitido. Em entrevista à Rádio CBN Vitória, o professor Valcemiro Nossa, doutor em Controladoria e Contabilidade, destaca o que observar na hora de pensar nesta modalidade de retirada do dinheiro.

"Desde que houve uma alteração no rendimento do fundo, ele passou a ser atrativo para o dinheiro do trabalhador depositado lá. Atualmente, dependendo do investimento que será feito, o trabalhador pode deixar de ter ganhos se comparar à rentabilidade do fundo", analisa. Sobre a retirada do dinheiro para fazer compras variadas, Valcemiro orienta uma melhor análise desse correntista. Mas se o objetivo é pagar dívidas que tenham juros altos, isso pode significar uma boa alternativa - mas lembrando de outras consequências que vem com adesão, como não ter direito ao saque rescisão. Ouça a entrevista completa:

 

Ver comentários