Notícia

Qual atividade física é ideal para cada fase da criança?

Aprenda detalhes com a professora Áide Nesse, coordenadora do curso de Educação Física da Universidade Anhembi Morumbi e especialista em Educação em Saúde

Que fazer exercício físico é importante ao longo da vida não é segredo, mas quando se fala na rotina das crianças muitos pais podem ter a dúvida sobre qual é a melhor atividade que seus filhos devem realizar, conforme a idade. Um levantamento realizado pela Universidade Anhembi Morumbi apontou as atividades ideais para cada faixa etária. Áide Nesse, coordenadora do curso de Educação Física da Universidade e especialista em Educação em Saúde, em entrevista à rádio CBN Vitória, detalha quais atividades são adequadas a cada faixa etária.

 

 

Crianças até 3 anos de idade

A partir dos seis meses de idade a atividade física deve ser realizada através de brincadeiras, de preferência acompanhada pelos pais, reforçando as relações familiares. São estimulados os movimentos de curta duração, como puxar, empurrar e segurar objetos várias vezes ao dia. As aulas de natação podem ser iniciadas, beneficiando a respiração e a capacidade psicomotora. As crianças acima dos 12 meses de idade devem ser estimuladas a caminhar, subir e descer escadas, rolar e pular no chão, sempre em ambientes seguros.

Crianças de 3 a 5 anos de idade

Para favorecer a concentração e a coordenação motora das crianças nesta faixa etária, as atividades físicas ainda devem ser realizadas por meio de brincadeiras e muita diversão. Para isso, reserve 60 minutos, de 3 a 4 dias por semana para estimular atividades como caminhar na rua, andar de bicicleta ou triciclos, subir e descer escadas, jogar bola ou dançar. Essas crianças também podem praticar moderadamente ginástica artística, atletismo ou natação.

Crianças de 6 a 10 anos de idade

“São acrescentados para esta faixa etária esportes com maior grau de dificuldade técnica, com regras e realizados em grupos, para continuar colaborando no desenvolvimento da coordenação motora e do convívio social, que, por fim, favorecerá o aprendizado de valores, como o respeito, a solidariedade e a experiência sobre como ganhar e perder”, explica. Entre as opções disponíveis para estas crianças estão os esportes com bola (basquetebol, voleibol, handebol, beisebol etc), as artes marciais (judô, karatê, tae-kwon-do, kung-fu e jiu-jitsu), hipismo, tênis de mesa e de campo. O especialista sugere que, na medida do possível, seja feito um rodízio de modalidades esportivas para que criança tenha oportunidade de experimentar diferentes tipos (individual ou coletivo, com ou sem interação entre os adversários etc.), desenvolver todas as suas habilidades e identificar suas preferências e aptidões.

Crianças de 10 a 12 anos de idade

As atividades físicas moderadas, quando praticadas regularmente, por meninos e meninas entre 10 e 13 anos de idade, estimulam a produção do hormônio do crescimento (GH), favorecendo o crescimento estatural. No entanto, a prática intensa (mais de 36 horas por semana) está relacionada a diminuição no ganho estatural, pois inibe a produção deste mesmo hormônio. O ideal nesta fase é concentrar a prática de uma ou duas atividades esportivas preferidas, com intensidade moderada, durante uma hora por dia, visando a participação em pequenas competições, pois já apresentam condições psicológicas para lidar com as derrotas e as vitórias. No entanto, manter o espírito recreativo das atividades esportivas ainda é essencial.

Crianças de 13 a 17 anos de idade

 

 

Para adolescentes, a maioria das modalidades esportivas estão liberadas, inclusive a musculação o o crossfit, devido ao grau de desenvolvimento muscular atingido. As participações nas competições esportivas e a realização de carga de treinamento de alta intensidade são sobrecargas psicológicas e físicas melhor administrada pelos atletas nessa faixa etária.

* Informações Universidade Anhembi Morumbi 

Ver comentários