Notícia

Quatro anos após tragédia, contaminação no Rio Doce ainda preocupa

Confira a entrevista concedida pelo geólogo e professor da Ufes, Alex Bastos, da Rede Rio Doce Mar, à rádio CBN Vitória

Localizada em Mariana, em Minas Gerais, a barragem da mineradora Samarco rompeu-se no dia 5 de novembro de 2015. Passando-se quatro anos, como está a situação da contaminação no Rio Doce, na região do Norte do Espírito Santo? Segundo o geólogo e professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Alex Bastos, que coordena a Rede Rio Doce Mar, a contaminação ainda persiste - contudo, existem variações no nível de turbidez ao longo do ano. 

"Nos períodos de maior energia, ou seja, cheias do rio e frentes frias (ondas de maior energia), é quando podemos ter a piora dos índices de qualidade do ambiente durante um determinado período de tempo. Pode-se dizer que é uma situação preocupante porque, principalmente, na região da foz do Rio Doce, que concentra essas forçantes continentais e marinhas, existem momentos ao longo do período de estudo e, que esta fase ajuda está presente", explica. A equipe está consolidando um relatório, que será apresentado no final de novembro, sobre a situação atual do Rio Doce.

 

 

Ver comentários