Notícia

20% das empresas de Iconha conseguiram reabrir, avalia associação

Iconha foi uma das cidades mais afetadas pelo temporal que atingiu o Sul do Espírito Santo

Voluntários se unem em mutirão de limpeza em Iconha
Voluntários se unem em mutirão de limpeza em Iconha
Foto: Raquel Lopes

Iconha foi uma das cidades mais afetadas pelo temporal que atingiu o Sul do Espírito Santo no dia 17 de janeiro. O nível do rio subiu mais de cinco metros, invadindo casas e comércios. No último dia 20, Wanderson Wernek Nicolini, presidente da Associação Comercial e Industrial de Iconha (ACINIC), em entrevista ao CBN Cotidiano, destacou a devastação de 100% do comércio da região. Todos os supermercados e bancos foram atingidos pela água, por exemplo. Passadas duas semanas, Wanderson Nicolini diz em entrevista à Rádio CBN Vitória que a cidade tenta se reerguer. 

"O que posso dizer é que nossa cidade está em reconstrução. Houve muitas perdas. Na Avenida Muniz Freire, uma das mais atingidas pela enxurrada apenas uma loja conseguiu voltar a abrir, que é uma casa de ração", diz.

Sobre a tentativa de retomada do comércio, ele diz que "20% das empresas reabriram". 

Questionado sobre uma frase que circulou pelas redes sociais convidando a população a consumir em Iconha, o presidente diz que também recebeu a publicação e que pensa em colocar um outdoor na entrada da cidade. "Recebi essa publicação da Carol Veiga e quem passa por Iconha já encontra uma padaria aberta, as lanchonetes para compra um lanche. Queremos botar isso numa placa na entrada da cidade para convidar a todos a conhecerem nossa terra", diz. 

Ouça a entrevista:

Ver comentários