Notícia

Tarifa branca tem 800 adesões no ES; saiba como analisar seu consumo

Especialista responde: afinal, vale a pena aderir à tarifa branca?

Energia elétrica: conheça a tarifa branca
Energia elétrica: conheça a tarifa branca
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Desde a quarta-feira, 1º de janeiro, os consumidores que optarem por aderir à chamada "tarifa branca" podem pagar menos pela energia elétrica fora do horário de pico. O novo formato de cobrança é é opcional e cabe ao consumidor escolher se adere à mudança. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a medida serve para desafogar o sistema elétrico. O regime tarifário vigora no Brasil desde o início de 2018, mas só estava disponível para quem tinha um alto nível de consumo mensal. Em entrevista à Rádio CBN Vitória, o engenheiro elétrico e professor da Universidade Vila Velha (UVV), Gilberto Costa Drumond Sousa, analisa como o sistema elétrico brasileiro atua e como a tarifa pode, sim, trazer redução para as contas de quem optar por ela. 

"Deve-se observar o hábito de consumo dessa casa, se ela tem o maior uso fora do chamado horário de ponta, o consumidor pode sair beneficiado, principalmente para quem tem grande uso do chuveiro elétrico e ar condicionado nesses horários", diz.

Ouça a entrevista:

De acordo com a Aneel, a tarifa branca define os seguintes horários para o custo de energia:

De 0h às 17h: fora de ponta;

Das 17h às 18h: intermediário;

Das 18h às 21h: ponta;

Das 21h às 22h: intermediário;

Das 22h às 24h: fora de ponta.

No Espírito Santo, desde o início da implantação, cerca de 800 consumidores da EDP no estado aderiram ao sistema. A distribuidora atende 1,6 milhão de clientes em 70 municípios do Estado.

No caso da EDP no Espírito Santo, a aplicação da tarifa branca obedece a três períodos: Ponta das 18h às 21h, Intermediários das 17h às 18h e das 21h às 22h, e Fora de Ponta das 22h às 17h do dia seguinte. Nos finais de semana e feriados nacionais, o consumo será sempre considerado na íntegra como Fora de Ponta.

Adesão:

Para aderir à tarifa branca:

o consumidor precisa entrar em contato com a distribuidora local de energia e solicitar a mudança;

a empresa terá até 30 dias para instalar o novo medidor (sem custo adicional);

o consumidor poderá optar pelo retorno à tarifa convencional;

a empresa terá até 30 dias para voltar a cobrar a tarifa convencional;

a partir daí, haverá carência de 180 dias para o consumidor retornar à tarifa branca se quiser.

De acordo com a Aneel, "quanto maior a diferença entre a tarifa convencional e a tarifa branca fora de ponta, maior é o incentivo à adesão à tarifa branca".

Ver comentários