Notícia

Óleo ainda chega em Linhares após um mês do primeiro registro no ES

Força-tarefa formada por Exército, Marinha e órgãos ambientais ainda atua no litoral capixaba em busca de fragmentos da substância

Fragmentos de óleo são recolhidos em Pontal do Ipiranga, praia de Linhares
Fragmentos de óleo são recolhidos em Pontal do Ipiranga, praia de Linhares
Foto: Eduardo Dias

Após um mês do primeiro registro de fragmentos de óleo em uma praia do Espírito Santo, as autoridades ambientais continuam recolhendo vestígios do material. A primeira praia com o registro foi Guriri, em São Mateus, no dia 7 de novembro, e a confirmação que o óleo é o mesmo que atingiu praias em todo o nordeste foi feita em laboratório. O local que continua recebendo os fragmentos de petróleo é o município de Linhares, principalmente nas praias de Degredo e Cacimbas, como explica o secretário de Meio Ambiente da cidade, Fabrício Borghi.

"Continua chegando esse material em pequena quantidade. Não é que a gente não limpou esse material ainda. Limpa, mas continua chegando", relatou.

A força-tarefa montada para combater o óleo, que reúne Exército, Marinha e órgãos ambientais, continua atuando no município. Cerca de 30 militares estão empenhados no serviço. Segundo o secretário, foram retirados de Cacimba e Degredo cerca de 1,5kg de fragmentos da substância e as praias registram tímida movimentação de banhistas. Em Linhares, desde os primeiros registros do petróleo, já foram recolhidos pouco mais de 600 kg do material, que é encaminhado a um aterro sanitário na Serra.

No Espírito Santo, 75 pontos no litoral foram atingidos pelas manchas de óleo, segundo levantamento do Ibama desta sexta-feira, dia 6. Do total, 29 não registraram novos vestígios na última revista. Foram atingidos os municípios de Conceição da Barra, São Mateus, Aracruz, Linhares, Serra, Vitória e Vila Velha.

Ver comentários