Notícia

Com o tempo mais seco, chegada do outono agrava doenças respiratórias

Doenças respiratórias aumentam até quatro vezes nos consultórios e hospitais na estação que começa

Com a chegada do outono neste sábado (21), a temperatura começa a cair, o clima fica ainda mais seco e aumenta a probabilidade da chegada de frentes frias. Como este ano está com um clima mais seco que o habitual no Espírito Santo, é preciso redobrar os cuidados para evitar as doenças respiratórias, que aumentam até quatro vezes nos consultórios e hospitais nesta estação que chegou, de acordo com o médico infectologista Paulo Peçanha.

As infecções virais, como resfriados e a gripe e as consequências delas, que são as pneumonias, otites, sinusites e bronquites, geralmente são contraídas por gotículas dispersas no ar ou pelo contato com superfícies contaminadas com vírus e bactérias. Por isso, é no mês de abril que geralmente se realizam as campanhas de vacinação contra a gripe.

 



Peçanha destacou que até o momento o governo ainda não divulgou o calendário de vacinação. Na rede privada, ela deve chegar antes.



“A época ideal para vacinação é nesse período mesmo, quando a gente chega no outono, porque o vírus circula mais no período mais frio, nas frentes frias. As frentes frias é que comandam a circulação do vírus aqui no Espírito Santo, e elas começam a vira agora, de abril em diante, e aí vem a gripe e vem os resfriados também”, disse à Rádio CBN Vitória.



A vacina da gripe fornecida pela rede pública será trivalente, protegendo contra os três principais vírus causadores da gripe. Por sua vez,  a versão vendida na rede privada é ainda mais potente, chamada de quadrivalente, com poder de imunizar contra um outro subtipo do vírus.



Como as gripes possuem uma vacina, o infectologista ressaltou que os resfriados são mais comuns e difíceis de prevenir, já que há mais de 100 tipos de vírus que o causam. Mas no resfriado, o vírus fica somente nas vias respiratórias, e geralmente não há febre.



Para se prevenir, a universitária Ariel Santos, de 20 anos, conta que seu segredo é se cuidar de dentro para fora. Principalmente durante as estações mais frias, ela leva uma garrafinha de água consigo aonde vai e procura se alimentar melhor.



“Geralmente, eu começo a espirrar muito, porque ataca muito a minha sinusite. Dá dor de cabeça, fico com aqueles sintomas de gripe. Eu gripo muito fácil nessa época do ano. Não pelo clima ficar mais frio, e sim por ficar mais seco. Meu nariz já é bem ressecado, eu tenho que lavar ele direto com soro, então quando o tempo fica mais seco eu sinto bem a diferença”.



O médico infectologista também recomenda que, para evitar doenças respiratórias, as pessoas evitem ficar em ambientes muito fechados, tenham cuidado com os hábitos de higiene e procurem um especialista assim que constatar algum sintoma.