Notícia

Cinco pessoas detidas por venda de lotes irregulares na região Serrana do Estado

As investigações estão sob a coordenação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPES

Cinco pessoas foram presas em uma operação de combate a venda de loteamentos clandestinos, na região Serrana do Estado, deflagrada pelo do Ministério Público do Espírito Santo (MPES) na manhã desta quinta-feira (15). Além das prisões, também foram cumpridos 8 mandados de busca e apreensão. Entre os crimes atribuídos ao grupo há falsificação de documentos públicos e graves danos à fauna e flora da região.

As investigações, que estão sob a coordenação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPES, começaram em fevereiro deste ano e apontaram o envolvimento de empresários e corretores do ramo imobiliário na ocupação irregular do solo rural em Domingos Martins, Marechal Floriano e demais municípios da Região Serrana, sempre clandestinamente.

Pelo menos nove localidades que estão em áreas de preservação ambiental, estariam sendo negociadas pelo grupo. O dono da JB empreendimentos, João Batista Gaiotti, que é apontado como o líder do esquema de venda de lotes, se defendeu das acusações. “Todo mundo está sujeito a acusação, mas eu tenho como provar minha inocência”, disse. Também foram detidos José Monteiro Gaiotti, Paulo Sergio Monteiro Gaiotti, Nilson Pires da Silva e Júlio Cesar Fernandes da Silva.

Operação

A Operação Berg, como foi denominada pelo MPES, significa montanha em alemão e faz alusão à Região Serrana do Estado. Segundo o promotor do Gaeco, Vitor Anhoque, como as áreas comercializadas estavam à margem da fiscalização e conhecimento dos órgãos municipais de controle, não é possível aos compradores adquirirem formalmente o direito de propriedade. Esses locais também não serão contemplados com serviços de saneamento básico, energia elétrica, rede de drenagem, além de representar riscos devido às construções em encostas e leitos de rios. “Danos ambientais que atinge a população dos locais e que é servida pela bacia, rios, etc. Há riscos eminentes de desabamentos”.

Inicialmente, estão sendo investigados os crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, implementação e comercialização de loteamentos clandestinos e crimes ambientais. Ainda precisam ser cumpridos outros dois mandados de prisão.

Ver comentários