Notícia

Advogado ligado a Cunha preso na Lava Jato tem escritório no ES

Segundo investigadores, Willer Tomaz foi preso junto ao procurador da República Angelo Goulart Villela

Um dos alvos da Operação Lava Jato na manhã desta quinta-feira (18) tem escritório no Espírito Santo. O advogado Willer Tomaz é ligado ao deputado cassado e atualmente preso Eduardo Cunha (PMDB). Segundo informações do G1, o advogado foi preso junto ao procurador da República Angelo Goulart Villela.

Segundo o site que representa os escritórios, Willer Tomaz está inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na secção Ceará e Distrito Federal. Na página dele na internet há a descrição de dois escritórios, um em Brasília e outro em Vitória, em um edifício comercial da Enseada do Suá. Treze advogados e um estagiário trabalham na Willer Tomaz Advogados Associados. 

Em uma busca rápida no site Tribunal de Justiça (TJ-ES) aparecem três processos recentes em que Willer atuou no Espírito Santo, defendendo empresas e políticos.

A reportagem da CBN Vitória esteve no escritório de Willer Tomaz em Vitória. A entrada foi autorizada na recepção do edifício comercial. A sala do escritório estava fechada, e o contato foi feito pelo interfone, que tocou duas vezes. Após aproximadamente três minutos, a reportagem da CBN foi atendida por uma funcionária, que não passou contatos ou informações sobre o advogado. “Não tem nenhum responsável no momento que possa falar com vocês. Não tenho contato nenhum. Tenha um bom dia”, disse a atendente.

Segundo reportagem do jornal O Globo, Willer Tomaz foi fotografado junto ao procurador da república Angelo Goulart Villela por Joesley Batista, um dos donos da JBS. Villela teria recebido propina por repassar informações sigilosas. Ele era um dos integrantes da Operação Greenfield, que investiga fraudes em fundos de pensão, e tinha informações da Lava Jato.

Ver comentários