Notícia

Bandidos são presos por aplicar golpes em locadoras de veículos

Dois bandidos foram presos em Guarapari acusados de aplicar um golpe contra uma locadora de veículos no Rio de Janeiro. A suspeita é que eles fazem parte de uma organização criminosa que atua também em São Paulo e no Espírito Santo

Dois bandidos foram presos em Guarapari acusados de aplicar um golpe contra uma locadora de veículos no Rio de Janeiro. A suspeita é que eles fazem parte de uma organização criminosa que atua também em São Paulo e no Espírito Santo, onde sete ocorrências foram registradas durante o mês de junho. De acordo com a Polícia Civil, os carros eram alugados pelos criminosos e revendidos para terceiros. A prisão foi realizada pela Polícia Militar na noite desta quarta-feira (28).

Após alugar os veículos, os criminosos passavam os carros para o nome de 'laranjas' e, em seguida, efetuavam a venda. O crime foi descoberto após Douglas Lopes Alencar, de 43 anos, e Francisco Bruno Barros Reis, de 25 anos, tentarem vender um veículo para o dono de uma revendedora de carros de Guarapari.

De acordo com a Polícia Civil, os criminosos alugaram um carro da marca Peugeot, no Rio de Janeiro, e levaram o veículo para Guarapari, onde efetuariam a troca por um Fiat Idea com o dono da revendedora. O comprador fez o levantamento do histórico do veículo e, ao constatar que o carro pertenceu a uma locadora, entrou em contato com o estabelecimento e constatou o golpe. O Fiat Ideia chegou ser entregue aos criminosos, mas foi recuperado pela polícia e devolvido ao dono.

A prisão dos dois suspeitos foi realizada pela Polícia Militar de Guarapari, que foi informada pela Polícia Civil sobre o golpe. Um terceiro suspeito, identificado apenas como Anderson, conseguiu fugir.

De acordo com a delegada titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DeFa), Rhaiana Bremenkamp, sete ocorrências foram registradas no Espírito Santo depois de a Polícia Civil alertar locadoras de carros sobre o golpe. A delegada também deixa uma recomendação para possíveis compradores.

“A população, se for comprar e verificar que na cadeia sucessória existe uma locadora de veículos, deve entrar em contato com a gente para não correr o risco de perder o bem depois”, frisou.

Segundo a delegada, ao ser preso, o acusado Francisco afirmou que foi contratado por Anderson, que está foragido, e que receberia R$ 1,5 mil pelo trabalho. Ele alegou que tinha pensão para pagar, por isso aceitou participar da ação. Francisco e Douglas informaram não saber dos golpes contra locadoras.

A dupla foi encaminhada para o Centro de Triagem de Viana e é investigada por estelionato, falsificação de documento público, falsidade ideológica, inserção de dados falsos no sistema do Detran e associação criminosa. O veículo da marca Peugeot que seria vendido está na Defa, aguardando os donos para ser liberado.

Ver comentários