Notícia

PMs do Estado ganham treinamento contra práticas terroristas

Hoje existem 85 policiais negociadores que tem treinamento no Estado para práticas terroristas

A Polícia Militar do Estado está passando por treinamento para agir em casos de terrorismos e assaltos com reféns. O curso é ministrado principalmente para soldados da Companhia Independente de Missões Especiais (Cimesp), o antigo BME. 

Hoje existem 85 policiais negociadores, que tem treinamento no Estado para práticas terroristas e de assaltantes que fazem reféns. A última ação deles foi em um açougue em Vila Velha, onde um assaltante fez 8 reféns após tentar roubar uma joalheria e ser surpreendido pela polícia. O suspeito se entregou e ninguém ficou ferido.

Segundo o comandante da Cimesp, Major Charles Souza da Silva, o número de policiais especializados foi reduzido após a paralisação da PM e reformulação da corporação e muitos policiais estão em outros batalhões ou até outras corporações, como as Polícias Federal e Rodoviária Federal. “Houve uma difusão dos antigos negociadores em outras unidades, o que não perde hoje. As unidades tem um efetivo para a primeira resposta. Mas na figura da Cimesp o quadro é deficitário”, explicou.

O curso está na quinta edição. Nesta quarta-feira (29) o tema foi terrorismo e contraterrorismo, com o Procurador de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG), Rogério Greco. Segundo ele, é importante as polícias ficarem preparados para o tema, já que existem grupos que alimentam o terrorismo internacional no Brasil, mesmo não praticando os atos no país.

Segundo o procurador, as técnicas repassadas aos alunos também valem para casos de assaltos com reféns. Ele explica como funciona o tratamento com um assaltante deste nível. “O negociador quer preservar a vida de todo mundo, do refém e do assaltante, mas muitas vezes isso não é possível. O negociador sente que aquele sujeito vai fazer uma desgraça e entra em cena a negociação tática, com a presença do Sniper. Muitas vezes ele tem que efetuar o disparo para preservar a vida do refém”, explicou.

O curso dado aos policiais vai até o dia 22 de dezembro. Além das aulas teóricas, os PMs da Cimesp fazem aulas práticas, de segunda a sexta e também em alguns sábados e domingos.

Ver comentários