Notícia

Violência fecha comércio na Leitão da Silva por mais um dia

Policiamento na região da Avenida Leitão da Silva foi reforçado com um ponto base, onde uma viatura da PM permanece em um ponto estratégico durante todo o dia e a madrugada

Menos de 24 horas depois do fechamento das lojas da Avenida Leitão da Silva, por causa do toque de recolher de traficantes do bairro São Benedito, o comércio teve que fechar as portas novamente no final da manhã desta sexta-feira (1º). Outra vez população e comerciantes foram reféns do medo. Três carros foram incendiados e houve troca de tiros no meio da avenida.

O embate entre traficantes e policiais militares teve início na tarde de quinta-feira (30), quando um adolescente, de 16 anos, foi baleado e morto pela PM. Moradores do bairro se revoltaram e tentaram incendiar um ônibus que passava na Leitão da Silva, mas sem sucesso. Houve toque de recolher e o comércio foi obrigado a fechar as portas.

Nesta sexta, mais de 10 homens desceram o morro, jogaram gasolina e atearam fogo em três veículos que estavam estacionados na via. Também houve troca de tiros. Um técnico de edificações, 45 anos, é proprietário de um dos veículos incendiados. Ele contou que funcionários da empresa onde ele trabalha conseguiram conter as chamas.

“Os colegas do serviço viram as pessoas descerem do morro. Quando olhei, vi que eles estavam ateando fogo nos veículos. Na hora peguei o extintor da empresa, desci e comecei a apagar o fogo. Outros colegas também desceram e conseguimos controlar as chamas”, afirmou.

Desde o ocorrido, o comércio fechou as portas e quem procurou algum serviço na via durante a tarde perdeu a viagem. O dentista Lucas Bezerra, 32 anos, precisava pegar o registo de profissão no Conselho, mas o local estava fechado. Ele veio de São Mateus, Norte do Estado, só para isso.

“Eu não sabia e vim achando que conseguiria resolver tudo no conselho, mas viagem perdida, meu consultório está fechado, deixei de atender, tive deslocamento, enfrentei chuva, risco na estrada e chego aqui e tenho essa má notícia”, contou.

Essa não é a primeira vez que há toque de recolher na Avenida Leitão da Silva. O caso mais recente ocorreu em outubro, quando traficantes ordenaram que os comerciantes fechassem o comércio por causa da morte de dois moradores do bairro. Eles estavam de moto e colidiram contra um ônibus.

De acordo com a assessoria da PM, desde o episódio de outubro, o policiamento na região da Avenida Leitão da Silva foi reforçado com um ponto base, onde uma viatura da PM permanece em um ponto estratégico durante todo o dia e a madrugada, com o objetivo de inibir ações de criminosos e aumentar a segurança de moradores e comerciantes locais.

Disse também que após a ocorrência desta quinta-feira (30), equipes estão na região reforçando as ações já desenvolvidas no local, a fim de garantir a tranquilidade de moradores, comerciantes e transeuntes.  

 

 

Ver comentários