Notícia

Número de endividados cai em Vitória, mas de inadimplentes cresce

Economista destaca que ainda é cedo para comemorar o resultado

Número de endividados em Vitória foi menor no mês de dezembro
Número de endividados em Vitória foi menor no mês de dezembro
Foto: Carlos Alberto Silva

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio) divulgou uma pesquisa revelando que a quantidade de pessoas inadimplentes em Vitória teve um aumento em dezembro. O número de famílias que não têm condição de pagar suas contas aumentou de 7,8% para 13,5%.

Na avaliação do economista Mario Vasconcelos, a organização das finanças é o melhor caminho para resolver esse problema.

"Os devedores precisam procurar os seus credores e renegociar a sua dívidas, dentro das suas possibilidades. Também é preciso organizar as finanças. Analisar os gastos mensais, com alimentação, aluguel, luz, internet, para ver quanto é possível economizar nesses gastos", concluiu o economista.

Se o número de inadimplentes teve um aumento considerável, a pesquisa da Fecomércio mostrou que o número de pessoas endividadas em Vitória teve queda em dezembro, após cinco meses de alta. O número foi de 74,9% endividados, 4,1% a menos que o mês de novembro.

No entanto, Mário Vasconcelos destaca que ainda é cedo para comemorar o resultado. Na avaliação do economista, muitas pessoas usaram o 13º salário para quitar dívidas e isso ajudou na diminuição do índice. O especialista afirma que é preciso esperar os números de janeiro para que seja feita uma análise mais clara do quadro de endividados.

Leia também

"Claro que é um número positivo, mas não chega a ser um dado muito importante. Até porque no mês de janeiro começam a repercutir as contas de dezembro. Vamos analisar em janeiro para ver se a tendência de queda (do número de endividados) continua, ou se o número de endividados vai aumentar", ponderou o economista.

O vice-presidente da Fecomércio, João Elvécio Faé, afirmou que, na avaliação da entidade, a grande quantidade de desempregados contribui para que o volume de endividados e inadimplentes ainda seja alto.

O representante da Fecomércio ainda alertou que, em um cenário econômico cercado por tantas incertezas, a criatividade dos lojistas é uma das melhores alternativas para aumentar o número de vendas e aquecer a economia.

"O comerciante tem que invetar algumas coisas todos os dias para atrair o consumidor para a sua loja. Tem consumidor ainda que tem condições de gastar. Tem que inventar promoções para atrair o cliente e conseguir se manter no negócio", avaliou o vice-presidente da Fecomércio.

Os dados também mostraram que, para 76,4% das famílias que possuem dívidas, os carnês se tornaram a principal forma de endividamento. Em seguida vem o crédito pessoal (74,3%), cartão de crédito (30,9%) e cheque-especial (11,2%).

A pesquisa foi realizada apenas no município de Vitória, mas o vice-presidente da Fecomércio afirmou que os números servem de parâmetro para as outras cidades capixabas.

 

 

Ver comentários