Notícia

Familiares de Milena acreditam que Hilário será penalizado de forma severa

Tio da médica desabafa: "Justiça fará a parte dela"

Após a audiência que ouviu testemunhas e réus do caso Milena Gottardi, ocorrida nesta última sexta-feira (23), no Fórum Criminal de Vitória, o tio da médica assassinada, Geraldo Gottardi, acredita que um dos acusados de mando do crime, o ex-marido de Milena, Hilário Frasson, será penalizado de forma severa. " A justiça vai fazer a parte dela. Condená-lo, pois foi muito cruel", ressalta. 

Geraldo afirma que Hilário pouco teria a acrescentar em sua defesa, já que todos os depoimentos prestados até agora, inclusive de pessoas que conviveram com a médica, apontam o quanto ele era cruel há bastante tempo.

O tio relata ainda que o depoimento prestado pelo executor, Dionathas Alves Vieira, detalhando todo o planejamento do crime vai contribuir para o esclarecimento total dos fatos e confirmar a condenação dos envolvidos.

No início desta semana, Geraldo e integrantes da família participaram de uma reunião na Corregedoria da Polícia Civil. A expectativa do tio de Milena é de que a punição administrativa também seja severa para Hilário Frasson.

“A situação dele é muito complicada. Vai ser uma punição severa. Eles não têm dúvidas, assim como nós. Nossa expectativa é para que ele seja punido para dar exemplo e evitar esse tipo de crueldade”, relatou.

Foram suspensas na noite da última sexta-feira (23), as audiências do caso. Era previsto que todos os réus fossem ouvidos, mas prestaram depoimentos apenas Dionathas Dionathas Alves Vieira, acusado de ser o executor do crime, e Bruno Rodrigues Broetto, acusado de fornecer a motocicleta usada por Dionathas no crime.

Na sequência, seria o depoimento de Hilário Frasson, acusado de ser um dos mandantes do crime, mas foi remarcado para o dia 2 de março.

Dionathas foi o primeiro réu a ser ouvido. Após mais de quatro horas dentro da sala de audiência, o advogado dele afirmou que o depoimento foi "profundo e assustador". Já Bruno ficou cerca de duas horas depondo. Ambos foram ouvidos sem a presença dos demais réus.

Ver comentários