Notícia

Quantidade de lixo espalhado na Prainha surpreende, em Vila Velha

A equipe de limpeza da Prefeitura de Vila Velha recolheu de 5 a 6 toneladas de resíduos por dia durante a festa

Lixo jogado no Parque da Prainha
Lixo jogado no Parque da Prainha
Foto: Caíque Verli

Um dia depois do encerramento da Festa da Penha, a região da Prainha amanheceu nesta terça-feira (10)  com muito lixo na rua. Papel, folhetos do Convento da Penha, copos de plástico, latas e restos de comida tomavam grandes áreas do local do parque, em Vila Velha. Uma cena que muitos consideravam um contraste com uma festa tão bonita como é a homenagem à padroeira do Estado.

A quantidade de lixo impressiona. A equipe de limpeza da Prefeitura de Vila Velha recolheu de 5 a 6 toneladas de resíduos por dia durante a festa.

Esse cenário assustou inclusive quem trabalha há muito tempo na limpeza e atua na festa, como o gari Marcelo Dias. "Eu acho uma falta de respeito, falta de consideração. Esse ambiente não é só para as festas. Falta consciência porque tem lixeira, e os contentores", lamenta o profissional. 

Lixo jogado no Parque da Prainha
Lixo jogado no Parque da Prainha
Foto: Caíque Verli

Segundo a Prefeitura, o serviço de limpeza foi reforçado na Festa da Penha e a coleta de resíduos foi realizada três vezes por dia, de 6h às 21h. A Festa terminou nesta segunda-feira (09) com a missa de encerramento, que recebeu aproximadamente 90 mil pessoas.

O arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, voltou a a afirmar que esta foi a última Festa da Penha em que participa como líder da Igreja Católica no Espírito Santo. Com 75 anos, Dom Luiz já enviou a carta de renúncia ao Papa Francisco e espera um retorno do pontífice. Durante a homilia nesta segunda, o arcebispo falou sobre a violência e a dor das mães que perderam seus filhos assassinados. 

Lojinhas

A organização estima que 1,2 milhão de fiéis participaram das festividades, que duraram nove dias. Apesar do número de visitantes, a avaliação dos comerciantes nas proximidades do Convento é de que as vendas de artigos religiosos caíram, na comparação com a festa em 2017. A queda foi de 10%, segundo donos de lojas. 


Ver comentários