Notícia

Grande Vitória: ciclistas enfrentam buracos e obstáculos em ciclovias

A reportagem da CBN circulou por vários pontos usados por ciclistas na região. Sobram buracos, desníveis e muito risco

Buracos e falta de sinalização incomodam ciclistas na Glória
Buracos e falta de sinalização incomodam ciclistas na Glória
Foto: Caíque Verli

A demanda por alternativas de transporte entre a população aumentou e a bicicleta é um destaque para o deslocamento nas cidades. Mas as melhorias em ciclovias não acompanharam esse crescimento. A qualidade da malha cicloviária na Grande Vitória, além de ser insuficiente, ainda deixa muito a desejar na avaliação de quem se desloca com os pedais.

A reportagem da CBN circulou por vários pontos usados por ciclistas na região. A constatação é que o há buracos, desníveis e muito risco para quem usa a bicicleta como meio de transporte, inclusive para o trabalho diário.

Em Cariacica, na ciclovia da orla de Porto de Santana, as lombadas, rachaduras e o mato alto incomodam os frequentadores da região. A autônoma Vani Ferreira usa a ciclovia para se deslocar todos os dias, mas tem medo por exemplo de levar a família para praticar exercícios no local.

"O piso da ciclovia é todo rachado, desnivelado, que pode causar acidentes para as crianças. O mato que está grande atrai animais e violência", disse.

O aposentado Irvando Herzog afirma que a qualidade da ciclovia está péssima há mais de ano e para andar por lá só com muita cautela. "Ao desviar de uma lombada dessas, você pode acabar se desequilibrando e caindo na ciclovia ou até atropelando alguém.

Leia também

Sobre esse trecho, a Prefeitura de Cariacica admite a existência de rachaduras causadas pela erosão abaixo da ciclovia e diz que tem realizado reparos paliativos na ciclovia da Avenida Vale do Rio Doce. Afirmou ainda que já contratou uma empresa para recuperar toda a extensão da ciclovia.

Em Vila Velha, na Glória e na avenida Champagnat, um grande problema, além dos buracos, é a falta de pintura. É difícil enxergar a ciclovia, segundo a tutora de van escolar Nilda Gonçalves. "Tem muito risco para a gente. Por exemplo, aqui a gente vai atravessar, vem carro de lá e a sinalização é péssima", afirmou.

Sobre os problemas apontados pela reportagem, a Prefeitura de Vila Velha falou que vai enviar uma equipe para avaliar a malha cicloviária na região para promover as intervenções necessárias, que ainda não têm data definida para ocorrerem.

Em Vitória, duas ciclovias muito usadas por quem trocou o carro ou o ônibus pela bicicleta também são apontadas com problemas: na Norte Sul, em Jardim Camburi, e na Fernando Ferrari, em Goiabeiras.

A Noemi Gonçalves, que é cabeleireira, decidiu usar a bike como meio de transporte há um ano e meio. Ela mora em Andre Carloni, na Serra, e vai todos os dias de bicicleta para a Reta da Penha, onde trabalha. Não se arrepende, mas pede melhorias nas ciclovias da capital. "Deixa a desejar. Acredito que se melhorasse, ficaria mais seguro para a gente. Já vi gente com pneu danificado por causa de ressalto", disse.

O subsecretário da Central de Serviços de Vitória, Marcos Aranda, diz que a Prefeitura faz manutenção constante e que deve passar nesses trechos nos próximos dias. Ele também contou que a Prefeitura deve iniciar a restauração e ampliação da malha cicloviária em 10 km em 120 dias.

Ver comentários