Notícia

3ª Ponte tem 4 modelos de barreira de proteção para população votar

As quatro opções de barreira foram apresentadas pela Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp), na manhã desta quinta-feira (29)

A partir das 8 horas desta sexta (30) até as 17 horas do dia 20 de janeiro, o capixaba vai poder votar em quatro modelos de barreira
A partir das 8 horas desta sexta (30) até as 17 horas do dia 20 de janeiro, o capixaba vai poder votar em quatro modelos de barreira
Foto: Montagem | Gazeta Online

O projeto para instalação de uma barreira de proteção contra suicídio na Terceira Ponte ainda não foi definido e, agora, a população já pode votar entre quatro modelos: uma grade de aço colocada na vertical, redes de náilon esticadas por baixo da ponte ou estruturas rebaixadas de fibra de vidro ou aço. As quatro opções de barreira foram apresentadas pela Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp), na manhã desta quinta-feira (29).

Uma consulta pública já está disponível, no site da agência, para que a população capixaba vote para escolher a que julgar melhor. Entre a opção mais barata, que conta com uma rede de náilon instalada embaixo da ponte, e a opção mais cara, com uma estrutura rebaixada de aço inox, os preços estimados das estruturas variam de R$ 7,8 milhões a R$ 27 milhões.

 

IDENTIFICAÇÃO

A votação na consulta pública estará aberta até o dia 20 de janeiro. O diretor-geral da Arsp, Júlio Castiglioni Neto, afirmou que o resultado da votação não será o principal fator determinante, mas terá influência na escolha da proteção instalada. A decisão final será do governador eleito Renato Casagrande (PSB), que toma posse no dia 1º de janeiro.

"Nós vamos receber esse opinamento público até o dia 20 de janeiro. Associada essa pesquisa de opinião com os elementos técnicos que a agência já compilou e nós vamos apresentar isso (ao Governo). Esse opinamento é relevante, porque, quando estamos falando de Terceira Ponte, estamos falando de um equipamento não apenas rodoviário, mas um equipamento de identificação do capixaba", explicou Castiglioni.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Todas as opções de proteção disponíveis tiveram analisadas as vantagens e desvantagens, de acordo com a agência de regulação. Na opção 1, a escolha é pela barreira com cabos rígidos verticais em aço inox, que tem como vantagem a instalação mais simples. A desvantagem é o fato da grade interferir no cone de visualização do Convento da Penha e da Baía de Vitória. Essa opção está estimada em R$ 16 milhões.

As opções 2 e 3, com uma estrutura rebaixada na lateral da ponte, são muitos semelhantes e diferem basicamente no material usado. Uma seria feita com fibra de vidro e a outra com aço inox. Uma das vantagens da vibra de vidro é ser 75% mais leve que o aço, causando menos impactos na estrutura da ponte. A desvantagem da fibra de vidro é ter o custo de fabricação mais alto que o aço. A vantagem apresentada para a estrutura de aço foi a alta resistência a impactos e à oxidação. A proteção de fibra de vidro custaria cerca de R$ 25 milhões e a proteção de aço 27 milhões.

A quarta opção seria um sistema de telas duplas, com uma rede de náilon, que ficariam posicionadas quatro metros abaixo do guarda-corpo da Terceira Ponte. O ponto positivo dessa opção seria o custo total mais baixo e instalação mais rápida. Entre os pontos negativos citados está o fato de quem a solução apresenta não tem o mesmo potencial de inibição às tentativas de suicídio quando comparada com as demais alternativas. Essa opção está estimada em R$ 7,8 milhões.

Agência de Regulação dos Serviços Públicos também afirmou que o prazo para a conclusão da obra escolhida depende das decisões tomadas pelo governo. As três primeiras opções têm um prazo estimado de seis meses para a execução da obra. A opção com as redes duplas tem um tempo estimado de três meses para instalação.

CONHEÇA AS OPÇÕES

Opção 1 - Barreira com cabos rígidos verticais em aço inox

Barreira de proteção que pode ser colocada na Terceira Ponte
Barreira de proteção que pode ser colocada na Terceira Ponte
Foto: Divulgação/Arsp

Descrição: estrutura a ser instalada sobre o guarda rodas da Terceira Ponte com hastes rígidas verticais em aço inox, sem inclinação, com altura de 2,65 metros (a contar do piso) e espaçamento de 10 centímetros entre barras e pontas perfurantes na estrutura horizontal superior.

Vantagens: testes do Corpo de Bombeiros demonstraram que a estrutura é de difícil transposição. Instalação é relativamente simples porque os suportes não são instalados por baixo da Ponte. Baixo custo de manutenção.

Desvantagens: interfere no cone de visualização do Convento da Penha e da Baía de Vitória.

Custo estimado: R$15.971.884,94.

Prazo de instalação: 06 (seis) meses após contratação.

* Layout e Projeto de Engenharia desenvolvidos pela RMG Engenharia a pedido da Concessionária Rodosol S/A.

Opção 2 - Estrutura lateral rebaixada em fibra

Estrutura lateral rebaixada em aço inox pode ser utilizada na Terceira Ponte
Estrutura lateral rebaixada em aço inox pode ser utilizada na Terceira Ponte
Foto: Divulgação/Arsp

Descrição: estrutura a ser instalada lateralmente ao guarda rodas da Terceira Ponte com chapas reforçadas em fibra de vidro (perfil pultrudado). O nível superior da estrutura está em nível com o guarda corpo da Ponte e possui altura de 2,83 metros. Espaçamento de 15 centímetros entre barras verticais.

Vantagens: Não interfere no cone de visualização do Convento da Penha e da Baía de Vitória. Material em fibra de vidro que possui alta resistência mecânica (80% da resistência do aço), imune à corrosão (por não ser metálico, não sofre corrosão por oxidação), alta resistência química (não desgasta em ambientes agressivos quimicamente e ambientalmente), resistência térmica (o que minimiza os efeitos da dilatação), baixo peso (75% mais leve que o aço), resistente aos raios UV (resistente à radiação ultravioleta), absorção de impactos (é resistente a impactos, não rompendo com facilidade), bom acabamento (a superfície é lisa e homogênea, sendo livre de bolhas, rachaduras, fissuras e outros defeitos), fácil instalação (a instalação é fácil em função da leveza do material pultrudado e por usar basicamente parafusos e chumbadores químicos).

Desvantagens: material cujo uso é menos difundido que o aço. Embora custo de instalação seja menor, o custo de fabricação é, geralmente, maior.

Custo estimado: R$25.213.463,14 (não inclui custo de iluminação especial)

Prazo de instalação: 06 (seis) meses após contratação.

* Layout desenvolvido por Angatu Arquitetura e Projeto de Engenharia por Pultrusão do Brasil.

Opção 3 - Estrutura lateral rebaixada em aço inox

Estrutura lateral rebaixada em aço inox pode ser utilizada na Terceira Ponte
Estrutura lateral rebaixada em aço inox pode ser utilizada na Terceira Ponte
Foto: Divulgação/Arsp

Descrição: Estrutura a ser instalada lateralmente ao guarda rodas da Terceira Ponte, com altura de 2,30 metros e espaçamento de 15,50 centímetros entre barras e prazo de instalação de 6 meses.

Vantagens: Não interfere no cone de visualização do Convento da Penha e da Baía de Vitória. Material em aço inox com alta resistência a impacto e boa resistência à oxidação.

Desvantagens: Em virtude do peso acentuado da estrutura, foi necessário adequar o layout inicialmente concebido, de modo que fosse demandada uma menor quantidade de aço inox, refletindo custos mais baixos e um peso menor. De toda forma, o custo estimado ainda permanece como sendo o mais alto dentre as quatro alternativas.

Custo estimado: R$27.000.000,00 (não inclui custo de iluminação especial)

Prazo de instalação: 06 (seis) meses após contratação.

* Layout desenvolvido por Angatu Arquitetura e Projeto de Engenharia por RMG Engenharia.

Opção 4 - Estrutura lateral rebaixada em sistema de telas duplas

Estrutura lateral rebaixada em sistema de telas duplas pode ser usada na Terceira Ponte
Estrutura lateral rebaixada em sistema de telas duplas pode ser usada na Terceira Ponte
Foto: Divulgação/Arsp

Descrição: Estrutura a ser instalada lateralmente ao guarda rodas da Terceira Ponte com sistema de telas duplas sustentadas por tirantes e tubos metálicos em aço inox, com altura de 4,23 metros (a contar do nível superior do guarda corpo). As telas são sustentadas por presilhas que são desarmadas quando recebem impacto superior a 40kg, de modo que a rede se flexiona e dificulta, em parte, a escalada.

Vantagens: Não interfere no cone de visualização do Convento da Penha e da Baía de Vitória. Custo total mais baixo e instalação mais rápida. Menor interferência na atual arquitetura da Ponte.

Desvantagens: a solução apresenta potencial de inibição às tentativas de suicídio, mas não possui o mesmo potencial para impedir efetivamente os suicídios, quando comparada com as demais alternativas. Além disso, em caso de salto sobre a rede instalada, será necessário, de qualquer forma, interditar, ao menos parcialmente, uma das pistas de rolamento da Ponte, para fins de resgate pelo Corpo de Bombeiros. As redes possuem menor tempo de vida útil e demandam maior manutenção.

Custo estimado: R$ 7.735.200,00.

Prazo de instalação: 03 (três) meses após contratação.

* Layout e projeto de engenharia apresentado por Calmon Arquitetura.

Ver comentários