Notícia

Casos de HIV entre os jovens aumentam no Espírito Santo

Somente em 2017 foram registrados 458 novos casos de HIV/Aids entre jovens de 15 e 29 anos no Espírito Santo

Teste de HIV/Aids
Teste de HIV/Aids
Foto: Arquivo | Agência Brasil

O 1º de dezembro é comemorado como o Dia Internacional de Luta Contra a Aids – doença causada pelo vírus HIV, que interfere na capacidade do organismo de combater infecções. Números da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa), apontam que a taxa de detecção de AIDS no estado caiu 10% e a taxa mortes provocadas por complicações da doença caiu em 19,6% nos últimos cinco anos.

Apesar da redução dos números de detecção da doença e da taxa de mortalidade, a coordenadora Programa de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e Aids da Sesa, Sandra Fagundes Moreira, afirma que o número de jovens, entre 15 e 29 anos, que mantêm relações sexuais sem o uso de preservativos ainda é alto no estado. Um problema que pode aumenta a quantidade de transmissões do vírus HIV.

Somente em 2017 foram registrados 458 novos casos de HIV/Aids entre jovens de 15 e 29 anos no Espírito Santo. Esse número representa aumento de 43% em comparação com 2014, quando foram 320 casos nessa faixa etária.

"Cada vez mais as pessoas não estão usando o preservativo como prevenção. Existem pesquisas de universidades e estudos do Ministério da Saúde mostrando que chega a 40% apenas a resposta de pessoas que utilizaram o preservativo. A média do uso do preservativo entre os jovens está na faixa de 40%", alertou Sandra Freitas.

EXAMES PREVENTIVOS

Em relação à redução na quantidade de pessoas que são detectadas com o HIV, mas não desenvolvem a Aids, Sandra Fagundes Moreira alerta para a importância da realização dos testes de prevenção.

"Testar as pessoas na fase que a pessoa ainda está sem sintomas faz com que ela comece a tomar logo o medicamente. O medicamento vai fazer com que a pessoa não desenvolva a doença. A taxa a detecção de Aids cai porque a pessoa é tratada precocemente e ela não vai adoecer", explicou Sandra Freitas.

A taxa de detecção de HIV no Espírito Santo no ano de 2017 foi de 31,2 casos para cada 100.000 habitantes. Entre as Macrorregiões de Saúde do Estado, ocorreram maiores aumentos na Região Metropolitana (942 casos novos em 2017) com 42,2 e Norte (95) com 21,9. Na Região Central foi de 14,4 e na Sul teve um importante aumento para 17,8 indivíduos com HIV por 100 mil habitantes.

Os municípios de Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica apresentaram maiores taxas de detecção do HIV que, o que pode significar também maior realização de exames e maior número de diagnóstico.

A Sesa afirma que existem 11.980 pessoas em tratamento de HIV no Estado. Deste total, 90% dos infectados estão com a carga viral indetectável. Sandra Freitas afirma que a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o fim da epidemia do HIV é diagnosticar e tratar 90% das pessoas que sejam HIV positivo até o ano de 2020.

Ver comentários