Notícia

Com doações de leite materno em baixa, maternidade usa leite em pó

A alternativa está sendo utilizada pois, atualmente, o banco de leite está recebendo a média mínima necessária para suprir a demanda: de 15 a 18 litros por semana. O estoque adequado é de 35 litros por semana.

Banco de leite do Himaba está recebendo uma média de 15 litros de leite por semana. Para um estoque adequado, volume deveria ser de 35 litros por semana.
Banco de leite do Himaba está recebendo uma média de 15 litros de leite por semana. Para um estoque adequado, volume deveria ser de 35 litros por semana.
Foto: Divulgação / SESA

O baixo número de doações de leite materno está fazendo com que o Hospital e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, utilize leite em pó para alimentar algumas crianças. A alternativa está sendo utilizada pois, atualmente, o banco de leite está recebendo a média mínima necessária para suprir a demanda: de 15 a 18 litros por semana. O estoque adequado é de 35 litros por semana.

A quantidade atualmente recebida por doações é destinada às crianças que estão em condições de saúde mais delicadas e precisam ser alimentadas com o leite materno. A fórmula, como é tecnicamente denominada o leite em pó, está sendo utilizada para alimentar crianças que estão em uma situação melhor de saúde, como explica a coordenadora do banco de leite materno do Himaba, Dra Rosa Maria Negri.

“Geralmente, a gente escolhe os mais prematuros, os menores, que estão com menor volume. Se para todas as crianças que nasçam maduras o leite materno é importante, imagina para os prematuros, que são crianças que tem mais infecção, são mais debilitadas, têm mais chance de adoecer, que as vezes atrasa o desenvolvimento”, explica.

Para manter o banco de leite apto a atender a demanda, sem a utilização do leite em pó, o Himaba deve receber 35 litros de leite por semana. Segundo a coordenadora, os pedidos de doação são importantes pois o ciclo da mulher lactante se encerra, e o estoque precisa ser renovado. “Para a doadora de leite, daqui a pouco o bebê cresce, ela para de amamentar e de ser doadora. Então, periodicamente, a gente precisa fazer campanha para sensibilizar as mães a doar o leite”, disse.

Doação

As interessadas em doar podem entrar em contato pelo telefone 3636-3151. O atendimento é feito de 7h as 18h. Uma vez cadastrada, a doadora não precisa ir ao Banco de Leite periodicamente. Para facilitar a comodidade das mulheres lactantes que têm a intenção de doar, o Himaba oferece um serviço de coleta do leite materno em domicílio. A retirada do leite é feita pela própria mulher e tem condições específicas de armazenagem, como explica a coordenadora.

“Ela coloca esse leite em um recipiente de vidro ou de plástico, deve congelá-lo, e a gente pede que, no máximo, em uma semana entre em contato com o banco de leite para realizar a coleta, porque esse leite tem uma validade de 15 dias. Então, se a gente for buscar com 15 dias e não for pasteurizar naquele dia, a gente perde o leite. É interessante que ela retire com uma semana, e ligue para o banco de leite para que seja feita a coleta”, ressaltou.

A cuidadora Edna Santos, 37, mãe de um bebê de sete meses e doadora há cinco meses, diz que faz a retirada e o leite é coletado toda semana. Ela explica que a doação não prejudica a alimentação do filho e fala sobre a sensação de ajudar outras crianças. “Eu tiro (o leite) todos os dias na parte da manhã, e eles recolhem todas às terças-feiras. Não atrapalha a alimentação do bebê, e é bom porque você se sente ajudando, se sente bem. Deus te deu e você se sente bem em doar para aqueles que precisam”, contou.

As mães também podem realizar a doação indo diretamente ao Himaba, que fica na Avenida Ministro Salgado Filho, número 918, no bairro Cristóvão Colombo, em Vila Velha.

Ver comentários