Notícia

Confiança atinge maior nível em 6 anos e comércio fala em investir

É o que aponta o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC)

Movimento de consumidores no comércio do pólo de confecções do bairro Glória, em Vila Velha
Movimento de consumidores no comércio do pólo de confecções do bairro Glória, em Vila Velha
Foto: Fábio Vicentini

O ano de 2019 começou sob uma nova perspectiva para os comerciantes capixabas, com previsão de melhoria no cenário econômico neste ano. É o que aponta o índice de confiança dos empresários, que atingiu o maior nível registrado em seis anos, com 126,5 pontos, de acordo com a Federação do Comércio do Espírito Santo (Fecomércio). Isso mostra que investimentos devem ser efetivados e ampliações de negócios realizadas. O chamado Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) tem uma escala que vai de 0 a 200 pontos, onde menos de 100 corresponde a pessimismo, e mais de 100 pontos, otimismo.

Para o vice-presidente da Fecomércio, Aurélio Cardoso, as promessas de redução de burocracia do governo recém-eleito é um fatores para o aumento da confiança dos empresários.

“O discurso do novo governo de facilitar a abertura de negócios, facilitar a vida do empresário, porque hoje são tantas obrigações a cumprir que se perde o foco da venda para cumprir obrigações. O simples fato dessas bobagens burocráticas deixarem de existir, foca o empresário para aquilo que é principal na empresa dele, que são as vendas”, disse.

Uma melhora na economia, no setor e nas empresas também são apontados como motivos pelo vice-presidente da entidade e podem resultar em novas contratações.

“Condições atuais da economia, condições atuais do setor, e das empresas. As empresas estão com os custos mais enxutos, então qualquer crescimento que houver, esse resultado vem de carona e de carona com os resultados vem novas contratações. O otimismo volta”, completou.

EMPRESÁRIOS

Leia também

Essa alta na confiança reflete nos negócios na Capital. A empresária Flávia Pacheco, dona de uma loja de vestuário para noivos, afirma que o movimento cresceu 50% em um ano e que uma nova loja, em Vila Velha, será aberta nos próximos meses.

“A gente está apostando porque estamos saindo da crise. Quando as coisas melhorarem de verdade, quem estiver mais bem preparado vai estar na frente. Quem já estiver em um caminho de prosperidade, de aumento, de crescimento, eu acredito que ele vem de uma forma mais sólida”, destacou.

Já o dono de uma loja de revestimentos em Vitória, Carlos Marianelli, vai aumentar o espaço de vendas em 50% para maior visibilidade dos produtos.

“O nosso segmento demanda muita exposição, de você ter um produto bem exposto. E cada vez mais os nossos revestimentos estão maiores, e essas peças maiores precisam mais espaço. Então nós estamos fazendo um implemento de 50% na área de venda da loja”, afirmou.

Apesar de fechar o ano de 2018 com uma queda de 5%, o empresário afirma que espera uma margem de crescimento muito maior em 2019, na faixa dos 20%.

“Para 2019 nós estamos com a expectativa de retornar aos níveis de 2016, quando nós tivemos uma situação boa de consumo, onde o consumidor estava ainda otimista. Estamos esperançosos de que isso reflita em um aumento de 20% em relação à 2018”.

Apesar do cenário de confiança apresentado pelo índice, a Fecomércio-ES não estipulou um crescimento para o setor em 2019.

Ver comentários