Notícia

Facção do Complexo da Penha apoia ataques em troca de exclusividade

Conflitos entre grupos de criminosos já deixaram diversos mortos em Vitória

Complexo da Penha
Complexo da Penha
Foto: Manoel Maia | TV Gazeta

Diversos bairros de Vitória foram palco de ataques criminosos nos últimos meses. Em muitos deles o roteiro dos crimes foi parecido: um grupo de bandidos fortemente armado chega na comunidade, realiza diversos disparos com arma de fogo e depois vai embora. Em muitas destas ocorrências, também há registro de assassinatos.

Ocorrências semelhantes foram registradas nos morro da Piedade e Moscoso e, mais recentemente, em Caratoíra, na noite de quarta-feira (27), quando um pintor de 56 anos foi alvejado com vários disparados e morreu. Todos esses casos têm em comum o fato de envolveram a disputa pelo controle do tráfico de drogas em Vitória. Em alguns desses casos, o ataque foi liderado por uma facção criminosa que atua no Complexo da Penha - composto por vários bairros -, em Vitória, conhecida como 'Trem Bala', o braço armado de outra facção, o Primeiro Comando de Vitória (PCV).

Leia também

A Polícia Militar conseguiu estabelecer através de investigações qual a relação existente e o modo de operação de grupos diferentes de traficantes que atuam em diferentes regiões da Capital. O grupo que comanda o tráfico de drogas na região do Bairro da Penha fornece pessoal e armas para grupos aliados de outros morros e ajuda também na dominação do território. Em troca, o grupo da Penha, passa a ser o único fornecedor de drogas e armas das áreas que ajudou a dominar.

Essa foi a estratégia usada para os ataques no morro da Piedade, no Centro de Vitória. O local era disputado por dois grupos rivais. O grupo que estava em desvantagem se aliou à facção do Complexo da Penha e pediu ajuda para realizar ataques na comunidade. Em uma dessas ocasiões, em junho do ano passado, um dos líderes do tráfico na Piedade foi morto. Se a estratégia desse certo, o grupo da Penha passaria a fornecer armas e drogas para a região da Piedade.

Esse combate também deixa pelo caminho o rastro de sangue de vários mortos que não tinham envolvimento com as facções criminosas. É o caso dos irmãos Juan e Damião Reis, mortos na Piedade, em março de 2018, e também de três outros jovens mortos no Morro do Moscoso, em janeiro deste ano.

Parte dos criminosos responsáveis por esses ataques já foi presa pela polícia. A prisão mais recente aconteceu na manhã desta quinta-feira (28), quando a polícia deteve Franklin Santos de Azevedo, de 32 anos, conhecido como Frank, em uma escadaria do Bairro da Penha. Ele é apontado como um dos líderes do grupo 'Trem Bala', que atua na região dos bairros da Penha, Gurigica, Consolação, Bonfim, Itararé e São Benedito.

Ver comentários