Notícia

Pais preocupados com creche de madeira sem alvará em Jardim Camburi

Bombeiros estiveram no local nesta quinta-feira (14) para vistoria e emissão do alvará. No entanto, o Corpo de Bombeiros confirmou que a vistoria foi realizada, mas que o local continua irregular

Parte interna do CMEI Rubens Vervloet. Estrutura feita de madeira, o local não possui alvará do Corpo de Bombeiros.
Parte interna do CMEI Rubens Vervloet. Estrutura feita de madeira, o local não possui alvará do Corpo de Bombeiros.
Foto: José Carlos Schaeffer

Pais e responsáveis demonstram preocupação com a estrutura do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Rubens Vervloet, no bairro Jardim Camburi, em Vitória. A creche, feita em uma estrutura de madeira, possui 237 crianças matriculadas e foi construída de forma provisória no ano de 2013 para atender a uma demanda do bairro, enquanto uma outra unidade era construída. De lá para cá, as crianças continuam estudando no local, que não possui alvará do Corpo de Bombeiros.

A secretária de Educação de Vitória, Adriana Sperandio, informou que os Bombeiros estiveram no local nesta quinta-feira (14) para vistoria e emissão do alvará. No entanto, o Corpo de Bombeiros confirmou que a vistoria foi realizada, mas que o local continua irregular.

A intenção era que a estrutura servisse apenas para acomodar os alunos até a entrega de outra creche no bairro, o CMEI Ana Maria Chaves. Segundo a secretária, após a entrega desta unidade, em 2013, a comunidade apresentou uma demanda maior de matrículas e pediu a criação de um novo CMEI. Adriana Sperandio diz que os pais foram informados que, até a entrega de mais uma nova unidade, as crianças deveriam ser mantidas no espaço alternativo. Passados seis anos, a unidade, que deveria ser provisória, continua em funcionamento.

O presidente da associação de moradores de Jardim Camburi, Enoque Sampaio, reclama da demora na indefinição sobre a construção da nova unidade.
O presidente da associação de moradores de Jardim Camburi, Enoque Sampaio, reclama da demora na indefinição sobre a construção da nova unidade.
Foto: José Carlos Schaeffer

O presidente da associação de moradores de Jardim Camburi, Enoque Sampaio, afirma que a própria comunidade pediu para que a estrutura permanecesse até que outra creche fosse entregue. Mas, reclama da demora para indefinição sobre a construção da nova unidade.

Leia também

“Já se passaram sete anos e nem o projeto dessa nova escola a gente conhece, o que era provisório se tornou definitivo. E está aí uma situação que não tem alvará, ninguém sabe se tem um projeto de incêndio aqui, para os professores, alunos, diretores para se acontecer alguma coisa, ter uma rota de fuga. É uma preocupação muito grande da própria comunidade, dos próprios pais que vem buscando a associação para tentar sentar com a prefeitura e saber quando isso vai ser resolvido”, relatou.

O presidente da associação afirmou que outras quatro escolas do bairro consultadas também não possuem o alvará do Corpo de Bombeiros.

PREOCUPAÇÃO DOS PAIS

A enfermeira Ana Paula Fernandes, que tem uma filha de três anos matriculada na creche, afirma que a estrutura não é adequada para as crianças. “Quando chove os professores se preocupam, ligam para a gente vir buscar as crianças mais cedo. Se faz muito calor, o ar-condicionado ligado pode superaquecer a escola, vir a pegar fogo, a escola não tem uma rota de fuga. Não tem uma estrutura adequada para as crianças estudarem”, disse.

> Vila Velha: Escola funciona sem alvará do Corpo de Bombeiros em Vale Encantado

A dona de casa Thais Lorraine tem uma filha de quatro anos que estuda na creche há dois. Segundo ela, a preocupação ficou maior quando, ao procurarem a diretoria atrás de respostas sobre a segurança, foi informado que o local não possuía alvará do Corpo de Bombeiros.

“A gente começou a ficar preocupado pelo acidente que teve dos meninos que morreram (no CT do Flamengo), e fomos perguntar a diretora sobre os ares-condicionados, se fazem vistoria, e ela falou que não tem o alvará do Corpo de Bombeiros. O calor ali é insuportável, aí eles ligam o ar-condicionado muito forte. Eu fiquei até com medo, tenho até vontade de tirar a minha filha daqui porque eu fico com medo. Disse que isso aqui era provisório, né? Mas, nunca saiu daí”, explicou.

A secretária de educação de Vitória, Adriana Sperandio, afirmou que um projeto de combate a incêndio, já aprovado pelo Corpo de Bombeiros, foi seguido e todos os equipamentos de segurança instalados na unidade. No entanto, mesmo com a vistoria desta quinta, o local continua irregular, de acordo com os Bombeiros.

Parte interna do CMEI Rubens Vervloet. Estrutura feita de madeira, o local não possui alvará do Corpo de Bombeiros.
Parte interna do CMEI Rubens Vervloet. Estrutura feita de madeira, o local não possui alvará do Corpo de Bombeiros.
Foto: José Carlos Schaeffer

O deputado estadual e ex-vereador de Vitória, Fabrício Gandini (PPS), afirmou que recebeu mensagens de preocupação dos pais e que, por isso, solicitou uma visita ao local junto ao Corpo de Bombeiros.

"Os pais estão preocupados. Eu recebi nas minhas redes sociais pedidos e prontamente liguei para o Corpo de Bombeiros, e uma visita está marcada para esta sexta-feira, às 11h, com o tenente-coronel Wagner, para nos dar algumas orientações. Vou lá com ele para ver se tem algo emergencial, se tiver, a gente vai pedir para a prefeitura suspender enquanto não resolver. Se não tiver algo emergencial, que sejam só correções pequenas, aí tudo bem o funcionamento, mais pra gente não funcionar no risco", explicou.

O tenente-coronel Carlos Wagner, do Corpo de Bombeiros, confirmou que será realizada a reunião de esclarecimento aos pais nesta sexta (15), e que na próxima segunda-feira (18), o Comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Paiva, e o prefeito Luciano Rezende se reunirão para se discutir uma forma de regularizar o local.

Sobre a construção da nova creche, a secretária de educação afirmou que o projeto está na última etapa, e que ainda este ano deve ser publicada a licitação. “Nós estamos finalizando, depois da aprovação da comunidade, a última etapa agora, que é uma execução do projeto estrutural, porque todos os outros projetos executivos já estão prontos. E, nossa expectativa é de que ainda este ano a gente deve estar licitando o novo prédio deste CMEI”, completou.

Segundo a prefeitura, a nova estrutura do CMEI Rubens Vervloet ficará localizado na Praça Coronel Leôncio Vieira Rezende, em Jardim Camburi.

Ver comentários